NoticiasTestes

Mazda MX-5 1.5 RF: O último namoro!

A CarZoom está em profunda depressão… Parece que chegámos ao fim de um relacionamento com dois anos. Dois anos de sorrisos, de “chiadelas” de pneu, curvas de lado e de palavras realmente bonitas como: “BWOOOOOOOAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA WAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!”. Este foi o nosso ultimo ensaio ao Mazda MX-5!

Antes de falarmos sobre o ultimo MX-5 a passar pelas nossas mãos, teremos de vos contar como tudo começou!

Foi em Setembro de 2015 que se iniciou este grande amor. Na apresentação da 4ª geração do Mazda MX-5. Deslocamos-nos ao Budha Eden para conhecer aquele que apelidamos de “Melhor roadster do mundo!” Nessa altura, a Mazda gostou tanto do nosso artigo, que acabou por o partilhar nas suas redes sociais, pelo que agradecemos desde já essa acção e toda a amabilidade da marca para connosco!

Até então poucos ou nenhuns carros de tracção traseira tínhamos testado. Apanhámos alguns sustos devido à inexperiência e podemos chamar-lhe até “azelhisse”. O que é certo, é que percebemos que o Mazda MX-5 era um automóvel muito envolvente, com muito para nos ensinar.

O nosso segundo ensaio ao Mazda MX-5 foi em Março de 2016, num dos fins-de-semana mais chuvosos e frios do ano passado. Não recusamos abrir a capota para ouvir o fantástico ruído de escape sem qualquer filtro. Esta nota inconfundivel fez com que só “acordássemos para a vida” quando começamos a levar com granizo na cabeça. À chuva com o ESP ligado começamos a tentar perceber como funcionava o Mazda MX-5, começamos a ganhar a noção das suas reacções e a perceber realmente o seu potencial. Este fim-de-semana que acabou em grande, com um passeio na Serra da Arrábida com um clima relativamente ameno ao final da tarde. Estava realizado o ensaio ao Mazda MX-5 ND 1.5 SKYACTIV!

Decidimos “Subir a parada” ao pedir o ensaio ao Mazda MX-5 ND 2.0. Agora tínhamos entre mãos um desportivo de raça pura, com um motor 2.0 Litros com 160cv de potência, autoblocante torsen e pack Recaro que incluía duas backets desportivas e suspensão Bilstein. Aqui começámos a ter uma ideia do que era um verdadeiro roadster desportivo. O Mazda MX-5 2.0 abordava as curvas de forma exemplar e não se negava a umas “atravessadelas” em piso seco sem grandes esforços. Este foi o Mazda MX-5 da geração ND que mais gostámos, até porque contava com a fantástica caixa manual que só quem conduz um MX-5 tem a noção do prazer que proporciona. Na escrita juntámos o ilustre Fernando Pessoa ao roadster nipónico, que resultou numa engrenagem quase perfeita que foi um autêntico sucesso. Merece voltar a ser lido!

Chegou a altura de sabermos como tudo começou, a Mazda cedeu-nos o verdadeiro Miata, a geração NA que fez do Mazda MX-5 o que é hoje. Foi com este desportivo de baixo peso que a Mazda deu inicio ao roadster mais vendido de sempre, foi possivelmente um dos automóveis com a maior legião de fãs em todo o mundo e adaptava-se a todas as situações e a todos os tipos de pessoas. O barulho mais robusto e metálico foi noutrora um ruído mais rôco e inesquecível. À noite saiam as luzes pop-up do capô que alegravam o estilo já de si alegre do Miata. A versão que ensaiamos foi o 1.6 Litros com 115cv de potência. Foi com o “avô” MX-5 que tomámos conhecimento da verdadeira essência da condução e até que ponto esta tarefa é uma verdadeira terapia para os problemas da vida.

A geração “NB” também passou pela CarZoom. Tivemos a sorte de experimentar um automóvel que ainda tem um valor de mercado absolutamente inacreditável. A geração “NB” cedida pela Mazda, contava com o motor 1.8 Litros de 146cv, era a 2ª fase da 2ª geração MX-5 traduzindo: uma performance de bradar aos céus!
Sem contar com o “ABS” ou o conforto da direcção assistida, não haviam mais ajudas à condução nos anos 90 e inicio dos anos 2000. O Mazda MX-5 NB 1.8 tinha uma condução sublime e sem filtros, transpirava performance e contava com um design realmente convincente e “limpo”.

Saio o Mazda MX-5 RF e fomos novamente convidados para a apresentação nacional, o tejadilho “revolucionário” da Mazda que nos oferecia um novo conceito, odiado por muitos e amado por outros tantos. Para nós foi uma excelente noticia, uma vez que poderíamos colocar novamente as mãos no nosso amado roadster nipónico.

A Mazda achou que devíamos conhecer o “MX-5 Club Portugal”. No dia 22 de Abril fomos até ao salão motorclássico com o novo Mazda MX-5 2.0 RF de caixa automática, onde participamos num passeio pela Serra de Sintra, onde tiramos dezenas de fotografias e fomos extremamente bem recebidos pelo clube que conta com muitos leitores da CarZoom, poderão reler o artigo aqui.

Faltava conhecer a geração “NC” que é provavelmente a menos amada do Mazda MX-5. Este foi o automóvel que tentou “subir” de nível e abandonou “parcialmente” o estilo mais “lightweight”. Tornou-se maior, mas não menos interessante, contava com mais espaço no interior, um design que ainda se mantém actual e a performance da linhagem “Miata”.

Chegou a hora da despedida. Em Junho estivemos ao volante do nosso “ultimo” Mazda MX-5, o RF 1.5 SKYACTIV, versão Excellence com Pack Recaro. Um bom automóvel para a despedida, que nos fez recordar todos os bons momentos e aprendizagens ao volante de um dos melhores roadster de sempre!

Este é um amor para toda a vida, infelizmente sobrepoe-se à razão. Esta é a ex-namorada para a qual nunca mais podemos voltar, é o fruto proibido mais apetecido, aparece nos nossos sonhos várias vezes por semana e quase que nos faz cometer a loucura de empenhar todo um ordenado, para conduzir todos os dias com um sorriso de orelha a orelha.

É a miúda que jamais esqueceremos, é o que nos faz martirizar todos os locais e estradas por onde passámos. Este pode muito bem ser um fim, ou um simples até já. Este é um “casamento” à distância de uns poucos milhares de euros e de um upgrade de 20 cêntimos por litro no combustivel. Este é o automóvel que está na nossa lista dos carros que havemos de ter, num futuro mais próximo ou mais distante.

O Mazda MX-5 é deslumbrante desde 1989. Faz-nos perceber o real prazer de conduzir e lembra-nos toda e a qualquer hora do bem que sabe ouvir o ruído de um motor por entre as árvores. São estes os automóveis pelos quais nos tornamos cada vez mais apaixonados e dependentes deste mundo das 4 rodas. É em cada troca de caixa, cada “chiadela” de pneu que percebemos o que queremos para o resto da nossa vida. Sorrir mais e mais atrás de um volante!

O Mazda MX-5 1.5 SKYACTIV RF está disponivel a partir de 29.841,00€, a versão “soft-top” está disponivel a partir dos 25.108,00€. Ambos contam com consumos simpáticos que podem muitas das vezes andar abaixo dos 6 Litros a cada 100km. A performance é garantida, assim como a diversão. A versão que ensaiamos custa 35.291,00€.

Galeria Mazda MX-5 1.5 SKYACTIV RF EXCELLENCE Recaro:

Artigo anterior

O novo SEAT Ibiza é a nova estrela da EuroNCAP!

Artigo seguinte

Renault Twingo GT: Performance para a cidade!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.