Testes

Mazda MX-5 NA: O inicio de um ícone chamado “Miata”!

Voltámos ao passado, mais especificamente ao ano de 1989 quando surgiu o melhor roadster que o mundo já viu. O Mazda MX-5 veio conquistar os apaixonados e os não apaixonados por automóveis. Acreditamos que se este mundo das 4 rodas fosse uma religião politeísta o Mazda MX-5 seria um dos deuses a serem respeitados!

A ideia da Mazda começou mais ou menos em 1983, quando andavam à procura de um novo caminho para a marca. Desde logo a ideia de criar um desportivo de baixo peso e de baixo custo agradou à grande maioria dos responsáveis da marca de Hiroshima, foi desde então que começou a ser pensado o automóvel que se viria a tornar num objecto de culto.

20160817_194500-2

O nome “MX-5” veio de “Mazda Experimental 5”, pois haviam mais 4 projectos em cima da mesa…

Apresentado no salão automóvel de Chicago em Fevereiro de 1989, o Mazda MX-5 NA conquistou a senhora que quer andar devagar num carro estiloso, conquistou o “pintas” que gosta de descapotáveis, e essencialmente os apaixonados pela condução pura e dura, que queriam estar em sintonia com uma máquina e que queriam possuir algo mais do que um automóvel que os levasse de A a B.

O Mazda MX-5 reúne tudo isso. Um estilo limpo e elegante, um custo relativamente baixo, uma condução das mais prazerosas que o mundo dos automóveis já viu e um barulho de motor capaz de arrepiar os pelos dos braços e da nuca. A tracção traseira proporcionava a condução mais divertida que um amante de automóveis podia desejar e todas estas características juntas criavam uma paixão quase eterna, capaz de nos colocar a sonhar de dia e de noite.

_s1a9825-2

Ainda há quem duvide que um automóvel com um motor 1.6 de 115cv possa oferecer tudo isto, e fazer com que um amante de automóveis atinja o nirvana. Quem duvida é porque nunca teve o prazer de estar ao volante de máquina tão perfeita quanto um Mazda MX-5, que nos oferece não só um dos motores mais agradáveis de sempre, como uma caixa com o melhor tacto que existe, uma direcção altamente precisa e um feedback da estrada quase tão perfeito como o que sentimos ao volante de um Kart.

São estas características que nos fazem sonhar, não é o facto de ter um automóvel com 400 ou 500 cavalos de potência, não é um automóvel com um cavalo rampante e uma potência quase indomável. O Mazda MX-5 é nos automóveis o “apreciar as pequenas coisas boas da vida”, é o automóvel que nos coloca um sorriso de orelha a orelha tanto a andar a 50km/h na Marginal de capota aberta, como o andar no redline numa estrada de serra com o barulho do motor a ecoar pelas árvores.

É quando seguimos o caminho mais longo para qualquer sitio para onde vamos que percebemos que estamos ao volante de um automóvel que nos enche o coração e nos dá um prazer como há poucos na vida.

_s1a9821-2

Já tínhamos ensaiado o Mazda MX-5 ND duas vezes, a versão de 131cv pela qual nos apaixonamos logo à primeira vista. Mas foi quando nos sentamos dentro do Mazda MX-5 NA que percebemos que é esta a essência de um verdadeiro automóvel. O ar “retro” com os faróis pop-up, as irregularidades da estrada pouco filtradas pela suspensão mais rija, o barulho do motor e o cheiro a gasolina, levam qualquer “petrolhead” ao estado de êxtase. Agora percebemos porque é que ao fim de 27 anos a Mazda continua a construir automóveis com uma essência formidável, vem dos avós, dos pais e agora está também presente nos netos.

Saímos de casa e esquecemos-nos de metade das coisas… Da carteira, das chaves de casa, do telemóvel e em casos mais extremos até da cabeça, que fica para trás quando conduzimos um automóvel assim…

20160817_201711-2

É um momento único de meditação, em que se deixam para trás os problemas, o trabalho, o stress e até a namorada, a família e os amigos. Só interessa aquele momento em que estamos com aquele volante nas mãos, com o cantar daquele motor a invadir a nossa cabeça, com o cabelo a ser despenteado pela deslocação do ar. O Mazda MX-5 fornece sensações indescritíveis, que só seriamos capazes de as sentir em automóveis bem mais caros e bem mais potentes. É uma simplicidade que nos oferece tudo o que precisamos para ser felizes, mesmo que seja apenas por breves instantes.

Esta é a altura em que sou obrigado a escrever na primeira pessoa… Quando fui levantar o Mazda MX-5 NA, tive de passear com algumas pessoas e tive o prazer de notar a mesma expressão na cara de todas elas. A que mais me marcou foi a do meu avô, que nunca se tinha sentado dentro de um automóvel descapotável, acho que nunca na minha vida o tinha visto a sorrir sem estar rodeado de gente e em pleno momento de silêncio, só com o barulho de um motor. Percebemos na cara das pessoas a boa energia que é fornecida pelo Mazda MX-5, parece algo sobrenatural e fora do normal, parece algo oferecido pela natureza e não por uma máquina feita de metal.

_s1a9813-2

Talvez este tenha sido o automóvel mais simples que ensaiámos na CarZoom, talvez este tenha sido o automóvel mais acessível… Uma coisa é certa, o Mazda MX-5 NA é o automóvel com que mais me envolvi emocionalmente, passou a ser o meu objecto de desejo, passou a ser uma boa recordação na minha mente e a certeza de que existem coisas realmente boas na vida. Talvez seja por isso que o Mazda MX-5 é o carro que está sempre a sorrir!

Tiago Neves

Fotos de: José da Palma
Em: Aldeia da Mata Pequena

Artigo anterior

Volvo V60 D6 Plug-in Hybrid: A perfeição Híbrida!

Artigo seguinte

Volvo sai para a estrada com XC90 Autónomo.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.