NoticiasTestes

Mazda MX-5 NC 2.0: A peça que faltava!

Quem nos segue sabe que somos fãs incondicionais do Mazda MX-5. Já estivemos ao volante do primeiro Miata, o NA, da segunda geração NB e com todos os modelos da ultima geração ND. Chegou a altura de falarmos um pouco acerca do modelo que faltava… O Mazda MX-5 NC!

Tentámos perceber o porque da geração “NC” ser a menos “amada” pelos entusiastas do Roadster nipónico. Fizemos uma breve pesquisa e chegámos à conclusão que é maior do que todos os das outras gerações (ND Incluída) e tentou “subir a fasquia” no que toca ao espaço e ao conforto. Houve quem não gostasse deste automóvel que se tentou “destacar” da linhagem MX-5.

Depois de o termos testado não podemos dizer que a marca nipónica tenha concebido um mau produto, muito pelo contrário. O facto de ser maior evita-nos alguns problemas quando toca optar pelo Mazda MX-5 NC como um automóvel do dia-a-dia. O NC é o mais espaçoso, tanto ao nível de bagageira como no interior e tem Porta-luvas! Já ao nível do conforto é nitidamente mais confortável que as gerações anteriores NA e NB. Tem a obrigação disso!

Referente ao design, pouco ou nada existe a acrescentar. Houve uma evolução do design do Mazda MX-5 NB para o NC que adoptou ópticas e farolins maiores, uma carroçaria mais corpulenta e moderna. A base do design manteve-se praticamente inalterada, uma vez que o formato da carroçaria e ópticas é bastante semelhante.

No interior houve um salto grande do Mazda MX-5 NB para o Mazda MX-5 NC que conta já um design mais contemporâneo e equipamento como ar-condicionado automático e na fase 2 (mediante opção) entradas USB e sistema de navegação. Dotado com um painel de instrumentos moderno e uns assentos e volante que ainda se mantém actuais ao fim de 10 anos de existência.

Percebemos o facto dos mais puristas não gostarem tanto do Mazda MX-5 NC, pois parece um “wanna be” Z4 ou SLK. Mas não podemos dizer que tenha perdido a capacidade de oferecer um magnifico prazer de condução, até porque os comandos continuavam todos em sintonia e à mão do condutor.

O Mazda MX-5 NC permite-nos diversão com uma melhor utilização quotidiana. Temos mais espaço, mais conforto e possivelmente mais “status”, por “parcialmente” ter abandonado o estilo mais simples e “lightweight”.

De todos os Mazda MX-5 é o que mais foge à linhagem, mas o barulho do motor 2.0 Litros de 160cv é absolutamente viciante. A esta magnifica motorização associa-se a direcção precisa e o bom chassi que nos faz adoptar um sorriso de orelha a orelha. Na altura de curvar, a suspensão podia contar com uma configuração mais firme.

Existiam dois motores no Mazda MX-5 NC em Portugal, o motor 1.8 Litros de 126cv e o motor 2.0 Litros de 160cv. É possível encontrar um Mazda MX-5 NC por cerca de 10.000€ e seria sem duvida alguma, uma forma de gastar o nosso dinheiro.

A versão ensaiada era o 2.0 Litros e contava com 160cv de potência, 188Nm de binário. O que era suficiente para o levar aos 100km/h em apenas 7,6 segundos. A velocidade máxima era de 213km/h. Com o motor 1.8 Litros poderiam esperar 126cv de potência e uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 9,6 segundos. A velocidade máxima estava entre os 196km/h e os 200km/h dependendo da fase.

O Mazda MX-5 NC não é apenas um desportivo qualquer, foi um roadster comedido no que toca ao preço de venda e era capaz de satisfazer os cavalheiros mais exigentes, que procuravam um automóvel para se divertirem, sem perderem o charme e o “estatuto”.

O “Hardtop” do Mazda MX-5 NC tem qualidade, oferece boa insonorização e demora pouco tempo a ser recolhido ou a cobrir o habitáculo. Não é possível efectuar esta acção em andamento, como já acontece nos novos MX-5 ND RF.

Artigo anterior

Exclusivo CarZoom: Abarth 695 XSR no Circuito Vasco Sameiro! (Video On Board)

Artigo seguinte

Este Lamborghini Huracan é exclusivo e pertence a uma mulher!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.