Artigos

Ferrari volta a produzir o 250 GTO?

A marca do cavalo rampante só produziu 39 Ferraris 250 GTO em meados dos anos 60, pelo que não é de estranhar que actualmente alguns dos modelos vendidos nessa época estejam a trocar de proprietários por dezenas de milhões de euros. A Ferrari pode voltar a produzir o 250 GTO, de forma limitada.

No salão automóvel de Genebra, que decorreu durante a semana passada, Sergio Marchionne revelou à imprensa internacional que o lendário 250 GTO podia voltar a ser produzido!

“A resposta é sim, mas eu luto com o termo “carro de continuação”, disse Sérgio Marchionne, acrescentando: “O que a Jaguar fez com os carros “lightweight” é inteligente, mas reinventar os 250 GTO é algo muito difícil, é viver fora do passado e é um mau hábito. Uma vez que existe uma plataforma, esperamos poder dar-lhe uso nos próximo anos”.

Sergio Marchionne referiu-se ao Jaguar E-Type Lightweight, que a Jaguar colocou em produção limitada há uns anos atrás. A mesma fabricante de automóveis seguiu com a produção limitada para o XKSS e agora o está a fazer o mesmo com o D-Type. A rival Aston Martin também está a seguir um caminho semelhante com o DB4 GT. Ao que parece, vamos ter a Ferrari na corrida dos clássicos!

O clube de elite dos proprietários do 250 GTO inclui o ícone da moda Ralph Lauren, o baterista dos Pink Floyd Nick Mason, o chefe do Wal-Mart, Rob Walton, e o ex presidente da Microsoft, Jon Shirley. O Ferrari 250 GTO é classificado como o automóvel mais caro a ser vendido em leilão. A Bonhams alcançou o recorde quando vendeu o Ferrari 250 GTO com o número de série 3851GT por mais de 30 milhões de euros, batendo o Mercedes W196 vendido no ano anterior por quase 24 milhões de euros em Goodwood.

Artigo anterior

Ford revela especificações do novo Fiesta ST!

Artigo seguinte

Tesla interrompeu produção do Model 3 no mês passado!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.