ArtigosEnsaios

Renault Mégane R.S 280 EDC: Um dia-a-dia de corridas!

O Renault Mégane nas versões convencionais já é um automóvel que parte corações. Quando ao nome Mégane juntamos a “Renault Sport”, sabemos que temos um automóvel concebido para bater recordes com os últimos gritos da tecnologia e excelente comportamento dinâmico. Como seria de esperar, este novo Renault Mégane R.S defende bem a linhagem Renault Sport e está mais “acessível” do que nunca!

A Renault conservou o estilo elegante do Renault Mégane convencional, mas tornou-o bem mais largo! As alterações ao nível do design resumem-se aos pára-choques mais musculados na dianteira e traseira, divisor dianteiro estilo Formula 1, grelha em favo de mel, saias laterais também mais salientes e faróis de nevoeiro a formar a bandeira “Renault Sport”. Damos destaque também, às maiores entradas de ar, saídas de ar nos guarda-lamas dianteiros, difusor traseiro desportivo, escape de dimensões generosas colocado ao centro, saídas de ar também no pára-choques traseiro e um spoiler maior do que o das versões convencionais. A sigla “R.S” não deixa espaço para duvidas, embora seja fácil de perceber que se trata do “Mégane R.S”, principalmente com a cor especial laranja vulcano. Estas siglas e palavras “Renault Sport” encontram-se na grelha dianteira, tampa da bagageira e junto às saídas de ar dos guarda-lamas dianteiros.

O estilo exterior é impressionante q.b, sem recurso a elementos demasiado “folclóricos”, o que à partida alarga o público alvo. Se queremos descrição, basta adoptarmos uma cor de carroçaria mais discreta e conseguimos ir a uma reunião de negócios sem causar um impacto desnecessário, para isso, convém não ligar o modo “Sport ou R.S”. O estilo mais desportivo da carroçaria é apropriado, pois permite-nos perceber que se trata de um automóvel desportivo, mas sem sermos o centro das atenções.

Ainda no exterior temos jantes de 18 polegadas, pinças de travões com 4 embolos Brembo, assinatura luminosa em LED na dianteira e traseira, iluminação Full-LED, antena barbatana de tubarão, capas de retrovisores acabadas a preto, vidros traseiros escurecidos, grelha preta.

No interior a temática desportiva é acentuada pelo pesponto vermelho nos assentos, volante, portas, maneta da caixa de velocidades e apoio de braço. Temos a silga “R.S” ao centro no volante, um friso “Renault Sport” no tablier, assentos em alcantara e tecido com inserção R.S, linha guia no volante, duas patilhas da caixa com tamanho generoso e imitação de carbono nos frisos das portas e tecidos. Damos destaque também aos pedais metálicos e forro do tejadilho preto exclusivo desta versão R.S.

Ao nível do equipamento temos tudo o que teríamos numa versão normal “GT Line”, mas ganhamos um sistema de navegação e multimédia com função de telemetria, um botão “R.S” que faz maravilhas e modos de condução que alteram o comportamento do Renault Mégane a um nível que não está disponivel numa versão convencional, temos ainda uma nova visualização do painel de instrumentos só disponivel nas versões “GT e R.S”.

Na lista de equipamento constam o ar-condicionado automático de dupla-zona, head-up display, painel de instrumentos digital em ecrã TFT, sistema de navegação e multimédia R-link 2 em ecrã de 8,8 polegadas, duas entradas USB, uma entrada AUX e entrada para cartão SD, sistema de som premium Arkamys, iluminação ambiente com várias cores à escolha, serviços conectados, sistema Renault Multi-Sense com vários modos de condução, cruise-control e limitador de velocidade, travão automático de estacionamento, sistema de ajuda ao estacionamento traseiro c/câmara, sistema de controlo da qualidade do ar, retrovisores rebativeis electricamente, entre outros.

O Renault Mégane R.S é um automóvel com características vincadas de um desportivo, ou não estaríamos a falar de um modelo by Renault Sport. Mas não é por isso que é insuportável no dia-a-dia, ou num passeio calmo de Domingo à tarde. Queremos com isto dizer, que apesar da suspensão extremamente firme, o Renault Mégane R.S é capaz de transportar os passageiros com conforto, nos lugares da frente o apoio lombar é de excelência, sem se tornar desconfortável, como acontece em alguns automóveis desportivos. Nos lugares traseiros também viajamos relativamente à vontade sem termos de contratar um osteopata. Este factor faz-nos acreditar que para além de um bom desportivo, o Renault Mégane R.S é também um automóvel agradável no dia-a-dia. O espaço de bagageira mantém-se igual ao das versões “comuns” com 384 Litros de capacidade.

O maior interesse nesta versão face ao sistema de navegação e multimédia é a telemetria onde conseguimos ver a percentagem de aceleração e travagem, a viragem das rodas traseiras devido ao sistema 4CONTROL, temperaturas água e óleo, pressão do turbo, rotações, binário e potência e ainda temos Lap Timer que nos indica os tempos por volta e a melhor volta a um determinado circuito. Como é já habitual, o “R.S Monitor” tem também um campo que nos dá dicas sobre a condução em circuito. O resto do sistema R-Link 2 é semelhante ao das restantes versões onde temos uma navegação 3D com serviços conectados, transito em tempo real, Android Auto e Apple CarPlay, climatização, alteração da visualização do painel de instrumentos e da iluminação ambiente. Entre outros.

No painel de instrumentos temos uma visualização mais digital e informações completas, mais do que apenas dados de viagem e consumos. Temos curva de binário e potência, pressão do turbo, temperatura de motor, dados da navegação e multimédia e ainda informação do modo de condução, alerta de troca de caixa e gráficos do launch-control.

É no lugar do condutor que este tipo de automóveis faz mais sentido e o Renault Mégane R.S faz realmente muito sentido quando percebemos que para além de um bom automóvel do dia-a-dia, temos um bom “carro de corridas para o dia-a-dia”. A posição de condução é extremamente desportiva e agradável, o volante é desportivo e ergonómico com uma pega perfeita e as patilhas da caixa de velocidades tem um tamanho generoso e são fixas como acontece nos automóveis de corrida. É neste lugar que percebemos que tudo está em sintonia tanto para as conduções mais comedidas, como para o modo “Race”.

Quando carregamos no botão “R.S” temos duas opções, ou o modo “Sport” ou o modo “Race”, ambos são semelhantes e pretendem oferecer ao condutor uma experiência de condução visceral, a diferença é que no modo “Race” há que “te-los no sitio” pois as ajudas electrónicas são desligadas. Surpreendentemente este modo não nos quer matar em todas as curvas, pois o Renault Mégane R.S é um desportivo cada vez mais acessível a quem quer exigir os seus limites, não sendo necessária uma experiência de condução ao nível de um piloto de corridas para explorar o seu potencial. Esta facilidade de condução deve-se ao excelente chassi, suspensão firme mas também ao “milagroso” sistema “4 CONTROL” que nos permite abordar as curvas com confiança, sem grandes sustos e “jogos de condução”… Mesmo quando a traseira se solta, raramente é necessário grandes movimentos para a voltar a colocar no sitio e isso é a prova de que o Mégane R.S é um automóvel equilibrado e ao acesso de todos os entusiastas da condução. A inserção em curva é inacreditavelmente precisa, mesmo quando travamos “no limite” a traseira faz “o favor” de rodar sob o eixo traseiro para ajudar a colocar a frente onde precisamos e é ai que percebemos que a Renault Sport quer ganhar alguns segundos nos circuitos do mundo.

Para além de um chassi digno da excelência, a nota de escape é capaz de nos fazer mostrar todas as veias do nosso corpo, o belo “sorriso colgate” e é também capaz de nos arrepiar os pelos mais escondidos das parte intimas… É verdade, cada troca de caixa no modo Sport ou Race é como um acordar de euforia, que nos deixa com um arrepio no estômago e nos faz querer ignorar os preços do combustivel e as nossas obrigações enquanto cidadãos… Que se lixe a poluição sonora, a poluição ambiental, o desastre financeiro e os possíveis problemas familiares, este é o ruído que os verdadeiros petrolhead não se importariam de ouvir todos os santos dias!

Para além da maravilhosa nota de escape temos uma direcção deliciosamente directa, um sistema de travagem incansável com discos de 355mm que raramente acusa fadiga e uma caixa rápida no modo automático e sequencial, já para não falar do motor disponivel, graças em parte à resposta do acelerador extremamente eficaz nos modos desportivos e mais comedida nos modos mais “civilizados”. A suspensão tem batentes hidráulicos de compressão que é como ter um amortecedor dentro de outro amortecedor, o que aumenta a eficácia e rigidez.

A versão ensaiada contava com o chassi Sport mais indicado para todos os tipo de utilização, mas a Renault tem ainda a versão “CUP” que conta com jantes de 19 polegadas, chassi mais rígido em cerca de 10% e tem diferencial autoblocante Torsen.

Todo este conjunto faz-nos querer usar e abusar do Renault Mégane R.S que esconde debaixo do capô um motor 1.8 Litros turbo com 280cv de potência às 6000rpm e 390Nm de binário entre as 2400 e as 4800rpm. O arranque do Renault Mégane R.S impressiona, assim como as saídas de curva proporcionadas pela excelente resposta do acelerador, apesar do ritmo diminuir quando chegamos às mudanças mais elevadas, o Renault Mégane atinge os 255km/h e precisa apenas de 5,8 segundos para ultrapassar a barreira dos 100km/h. A potência é enviada para as rodas dianteiras através de uma caixa automática de dupla embraiagem EDC de 6 velocidades na versão ensaiada, mas a Renault decidiu preservar a caixa manual de 6 velocidades para os seus clientes mais “puristas”.

Se para ter um desportivo era preciso realizar um contrato com uma qualquer gasolineira, nos dias que correm isso é cada vez menos uma realidade. No caso do Renault Mégane R.S basta accionarmos o modo “Comfort” e o nosso modo “pézinhos de lã” para conseguirmos consumos na casa dos 8,5 Litros a cada 100km (Consumos mistos com e sem trânsito). Claro que quando queremos “dar fogo à peça” no modo Sport ou Race não há milagres e aí, a melhor solução é mesmo não olhar para o computador de bordo, uma vez que os consumos podem facilmente ultrapassar os 14 Litros a cada 100km, como seria de esperar.

Relativamente aos modos de condução, ao contrários das versões convencionais, no Renault Mégane R.S os modos: Neutro, Comfort, Race, Sport e Perso vão interferir directamente na resposta do acelerador, ruído do escape, motor e climatização. O modo “Comfort” é o mais comedido e civilizado colocando-nos o motor no modo “ECO” e a resposta ao acelerador menos reactiva de forma a que consigamos consumos mais simpáticos e uma condução mais confortável através da direcção que fica mais “leve”. Os modos Sport e Race como já dissemos fazem-nos extrair o melhor do Renault Mégane R.S, ou seja performance, temos um escape que nos faz parecer estar numa zona de caça, uma reposta ao acelerador de excelência e um motor pronto a proporcionar-nos o entusiasmo dos seus 280cv! O modo “Neutro” junta o melhor dos dois mundos e o modo “Perso” permite-nos alterar todas essas definições a nosso gosto.

Na segurança, o Renault Mégane R.S também tem fortes argumentos. Temos sensor de chuva e luminosidade, cruise-control, sistema de ajuda ao estacionamento, alerta de transposição involuntária de faixa, luzes de máximos automáticas, travagem activa de emergência, reconhecimento de sinais de trânsito, entre outros. Nos testes Euro NCap o automóvel francês de segmento C conseguiu as 5 estrelas com uma classificação de 88% na protecção dos adultos, 87% na protecção das crianças, 71% na protecção de peões e 71% nas ajudas à condução!

O Renault Mégane R.S ensaiado custa cerca de 40.500,00€ tem 5 anos de garantia ou 100.000km e paga de IUC: 235,59€. A manutenção realiza-se de 30.000km em 30.000km ou anualmente!

Fotos de: José da Palma!

Artigo anterior

Audi RS Q3 ataca o Inferno Verde! (Vídeo)

Artigo seguinte

Mercedes GLE aparece em vídeo Teaser.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *