PublireportagensNoticiasRúbricas

(Parte 2) Comprámos um carro por 400€ e fomos correr: Rollbar

Se leram o nosso primeiro artigo, sabem que no início de 2019 comprámos um Mitsubishi Colt 1.3 GLX no OLX por 400€. O objectivo desta aquisição era realizar algumas provas do troféu slalom de Mafra, por isso, o objectivo de 2019 foi cumprido! Com um filtro de ar cónico do chinês e pneus Toyo R888 usados atacámos os troços de Mafra. Para 2020 queremos subir a fasquia, pelo que começámos ainda este ano esta 2ª fase de preparação de um automóvel para
competir. Entregámos o nosso Mitsubishi ao mestre dos Rollbar, o Sr.Jorge Vicente, e demos início a este “próximo nível.”

Após a participação no slalom de Santo Estevão das Galés e no slalom da Carapinheira, foi inevitável começar a procurar competições fora do troféu de Mafra para 2020. Embora o troféu slalom de Mafra tenha a nossa participação quase garantida, não queremos ficar apenas por esta simpática região. Nos nossos planos constam algumas provas “extra” como: Rallye de Inverno de Leiria, Almada Extreme Sprint (Lisnave), Rally Festival Leiria e quem sabe Rallye Legends do Luso.

A diversão é uma constante em qualquer que seja o automóvel, mas a segurança é muito importante para que a fantástica experiência não seja abalada por um desastre, que pode acontecer até ao piloto mais experiente do mundo. À medida que a seriedade das provas aumenta, aumenta também o nível de exigência em termos de segurança e cumprimento de homologações, por isso, demos uma grande importância à concepção de um rollbar para o nosso Mitsubishi Colt.

O rollbar pode fazer toda a diferença num automóvel, não só por tornar a carroçaria muito mais rígida e haver menos deslizamento, como também por aumentar significativamente a segurança, que é o principal objectivo. O rollbar está pensado para reforçar a carroçaria em torno dos ocupantes, de forma a que estes não tenham lesões devido à deformação da mesma. O “Santo António” (rollbar) já salvou muitas vidas no desporto automóvel, esperemos que nunca tenha de salvar a nossa, mas se por acaso correr mal, ainda bem que o “Santo António” vai connosco e foi feito por quem sabe.

Um elemento tão fundamental tem de cumprir uma série de normas. Não basta soldar meia dúzia de ferros e criar umas cruzes nas portas e na traseira, a estrutura tem de estar preparada para fortes embates, para que consiga proteger os ocupantes. Por isso, não podíamos falar com outra pessoa senão com o Jorge Vicente da JHPSport, um piloto que também é perito na arte de conceber um rollbar.

Ingénuos ligámos ao Jorge a dizer que queríamos que ele fizesse um rollbar para o nosso Mitsubishi Colt. Na chamada, o Jorge perguntou: “E o carro está todo desmantelado?”

Assim se iniciou a nossa aventura para a concepção de um rollbar… Devido à nossa ingenuidade e falta de conhecimento, pensámos que era só tirar o tablier e os plásticos. Felizmente, o nosso mecânico Sandro Carvalho e o Jorge Vicente alertaram-nos que os automóveis de série têm alguns componentes altamente inflamáveis, não só as alcatifas e plásticos, como também o alcatrão que consta por baixo das alcatifas do chão. Retirar esse alcatrão não é tarefa fácil, mas depressa percebemos que seria uma mais-valia a retirada desse material, não só por poder pegar fogo durante a soldadura de um rollbar, como também por ter um peso significativo.

Demos início a um grande trabalho de braços, uma vez que aquecer este alcatrão não é solução, porque o torna numa espécie de pastilha elástica e o gelo seco pode corroer a carroçaria. Nada que um martelo e uma espátula não resolvam!
Numa manhã de sábado, ficámos prontos para umas férias durante o resto da semana, tal foi a exigência física de retirar todo o alcatrão. Depois de colocarmos o alcatrão num saco, a balança não mentia: foram removidos cerca de 15kg de peso!

Retirámos os forros do tejadilho, o tejadilho de abrir e respectivo motor, retirámos o depósito de gasolina, tablier, motor de ventilação, entre outros. Estava pronto para ir para a JHPSport! O expert Jorge Vicente teve o cuidado que nos ir enviando fotos do impressionante trabalho, que consistiu em reforçar determinados pontos da carroçaria, em criar os suportes, os arcos principais e as respectivas cruzes.

Nas fotos consta o trabalho do Jorge Vicente passo a passo:

Depois do rollbar feito é necessário pintar para não enferrujar.

Dizem que um automóvel de corridas nunca está pronto e o nosso pequeno Mitsubishi Colt não é excepção. Depois do Rollbar pintado, temos ainda que fechar o tejadilho, montar o painel de controlo eléctrico com start por botão, montar o corta-corrente e o extintor e ainda montar novos amortecedores e molas, backets e cintos.

Como um automóvel de competição tem um desgaste muito superior, falta-nos melhorar a travagem com componentes que suportem mais aquecimento e trocar o óleo de motor de série por óleo de competição.

O primeiro objectivo de 2020 é concluir o nosso Mitsubishi Colt e participar no Rallye de Inverno (NDML), que terá lugar já no dia 1 de Fevereiro.

Mantém-te atento ao nosso site e redes sociais, para ficares a par das últimas novidades do nosso Mitsubishi Colt. Se puderes, vai às provas e dá-nos o teu apoio!

Artigo anterior

KIA Sportage 1.6 CRDi ISG 7DCT MHEV GT LINE: Pequena electrificação para um grande automóvel!

Artigo seguinte

Mercedes-Benz é a marca mais inovadora entre os principais construtores

2 Comentários

  1. Sandra
    29 Dezembro, 2019 a 19:41 — Responder

    Seja um novo desafio,uma nova conquista e seja com muiyo sucesso. Desejo para 2020. A conquista de muitos troféus. E que Santo António boa acompanhe. E sempre bom tentar ir nos faz feliz. E so por tentar ja somos vencedores. Força, fé e coragem

    • Tiago Neves
      30 Dezembro, 2019 a 09:48 — Responder

      Agradecemos o apoio Sandra! Cumprimentos e obrigado por nos seguir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.