EnsaiosNoticias

KIA Sportage 1.6 CRDi ISG 7DCT MHEV GT LINE: Pequena electrificação para um grande automóvel!

O KIA Sportage é um automóvel que sabe dar nas vistas, principalmente quando se trata da versão GT Line, que nos oferece um estilo mais desportivo e irreverente. Mas não só de estilo são feitos os automóveis, uma vez que nos tempos que correm somos cada vez mais obrigados a olhar a emissões de CO2, por isso, a proposta da KIA é uma motorização diesel Mild-Hybrid, cuja a assistência eléctrica ajuda a reduzir as emissões de gases poluentes.

O SUV coreano tem um aspecto invejável, apesar da produção desta geração ter sido iniciada em 2016. Mantém um aspecto jovem e contemporâneo que se tornou ainda melhor com a actualização que recebeu no ano passado. Nesta versão GT Line temos alguns pormenores que merecem destaque, uma vez que tornam o Sportage ainda mais atractivo.

No exterior temos um capô longo e mergulhante, uma grelha generosa em cascata com moldura preta brilhante, uma grelha inferior generosa, sublinhada por uma protecção metálica do lábio do pára-choques e ainda faróis de nevoeiro embutidos numa moldura preta brilhante, que recebe um friso cromado para embelezamento. As ópticas são rasgadas e têm um “olho de boi saliente”. Nas laterais sobressaem os guarda-lamas e ilhargas musculados, que oferecem ao KIA Sportage o tão apreciado aspecto desportivo. A linha de cintura é elevada e o tejadilho tem uma curvatura ligeira, mantendo o aspecto SUV, sem entrar no aspecto “coupé”. Na traseira temos um spoiler generoso, um óculo traseiro tímido, farolins rasgados com um feixe de luz led a atravessar a tampa da bagageira e protecções plásticas no pára-choques que albergam uma protecção metálica “extra”, que acolhe duas saídas de escape generosas.

No exterior temos ópticas e farolins LED, chave mãos-livres, protecções plásticas em toda a carroçaria, faróis de nevoeiro, jantes em liga-leve de 19 polegadas com dois tons envolvidas em pneus 245/45, vidros traseiros escurecidos, antena shark, entre outros.

O acesso ao interior não é dificil, as portas têm uma abertura ao nível do segmento e o tejadilho dá margem suficiente para a passagem da cabeça. Conseguimos aceder sem grande dificuldade a ambas as filas de assentos e o plano de carga da bagageira é também direito, independentemente do rebatimento dos assentos e é relativamente baixo, o que facilita a carga de objectos. Uma vez no interior temos espaço para pernas, ombros e cabeça, mas as pessoas mais altas podem ficar mais próximas do tejadilho, que vê ser reduzida alguma habitabilidade, devido ao motores do tejadilho panorâmico. A bagageira tem 480 Litros que se estendem até aos 1469 Litros através do rebatimento dos assentos traseiros.

Uma vez no interior, notamos um aspecto mais desportivo desta versão GT Line, que nos oferece pesponto, aplicações aluminio escovado, volante desportivo em pele perfurada, pedais em alumínio, apontamentos vermelhos nas costuras dos assentos e portas, assim como aplicações a preto brilhante que acentuam o requinte a bordo. Ao nível dos materais estes são emborrachados ou revestidos a couro no tablier e portas dianteiras, com as portas traseiras a receberem materiais mais rijos e de qualidade menos satisfatória, como acontece abaixo do nível da cintura nos assentos dianteiros. Apesar do contraste entre materiais com menor ou maior qualidade, o KIA Sportage tem um interior agradável e robusto, capaz de agradar os clientes mais exigentes. Não podíamos deixar passar a qualidade de montagem que ausenta os ruídos parasitas a bordo.

Ainda no interior esta versão GTLine brinda-nos com assentos em couro, tejadilho panorâmico (opção), sistema de navegação e multimédia com 8 polegadas, painel de instrumentos com computador de bordo em ecrã TFT com 4,2 polegadas, ligações USB e de 12 volts nos lugares dianteiros e traseiros, entrada auxiliar nos lugares dianteiros, travão de mão eléctrico com função auto-hold, controlo por voz, câmara de ajuda ao estacionamento, sensores de ajuda ao estacionamento na dianteira, retrovisores com recolha automática, botão start da ignição, ar-condicionado de dupla-zona com saída para os lugares traseiros, cruise control, limitador de velocidade, modo “Sport”, soleiras das portas com designação do modelo, sistema de ajuda à descida, sistema de som premium JBL, volante multi-funções, patilhas no volante para trocas de caixa, apoio de braço nos lugares dianteiros e traseiros, portão traseiro automático, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia do KIA Sportage é intuitivo, tem boa imagem, serviços conectados e actualizações durante 6 anos, está preparado para Android Auto e Apple Car Play, oferece trânsito em tempo real, estado do tempo e actualizações.

Já o painel de instrumentos não é de grandes ecrãs digitais, mas o computador de bordo é completo revelando dados de viagem e consumos, dados de manutenção do automóvel, alertas dos sistemas de ajuda à condução, monitorização de pressão dos pneus, dados da multimédia e da navegação, bússola e nesta versão mild-hybrid contamos também com um gráfico de energia, que nos ajuda a perceber o consumo e a regeneração.

No lugar do condutor a posição de condução é alta e agradável. A consola central está dirigida a quem desempenha a tarefa da condução e o volante e punho da caixa de velocidades são ergonómicos. Os comandos estão “à mão” e são do mais intuitivo que há. Podia haver um comando para o sistema de navegação que estivesse mais ao acesso do condutor, mas é uma boa forma de não nos distrairmos. Os assentos são envolventes nos lugares dianteiros e traseiros, com a reclinação dos assentos traseiros a aumentar o conforto de quem viaja na fila traseira. O apoio facultado pelos assentos dianteiros é também suficiente, quer nas laterais, quer nas pernas e costas.

O comportamento dinâmico do KIA Sportage satisfaz. Não sendo um automóvel de corrida, a configuração de suspensão mais “condescendente” não prejudica o comportamento dinâmico, permitindo reacções previsíveis, proporcionando conforto aos passageiros. A direcção é directa q.b e a caixa de velocidades automática é suave, rápida q.b e obediente no modo sequencial, embora não se trate de uma caixa de um automóvel desportivo. Devido à altura ao solo, o adornar da carroçaria é notável.

Debaixo do capô está um motor 1.6 CRDi auxiliado por alternator-gerador eléctrico que permite reduzir as emissões de CO2 em até 4%. A ajudar na redução de emissões está também a adição de ADBlue. Este motor tem 136cv de potência às 4000rpm e 320Nm de binário entre as 2000rpm e as 2250rpm. Este motor trabalha bem com a caixa automática de dupla embraiagem com 7 velocidades, que faz arrancar o KIA Sportage sem grande “lag”. A partir das 2000rpm e com o auxilio do motor eléctrico a aceleração consegue ser até entusiasmante, principalmente quando se trata de recuperar velocidade.

No que toca aos consumos, é sabido que as restrições em termos de emissões de gases poluentes, levam as marcas a inserir componentes que diminuem a performance dos motores e que muitas das vezes os tornam menos económicos. Contudo, a KIA encontrou forma de “contornar” a questão, através da implementação deste alternador-gerador, que mantém a performance do motor, ajudando a reduzir emissões e consumos. No nosso ensaio, o KIA Sportage Mild-Hybrid diesel realizou um consumo de 6,8 Litros a cada 100km, relembramos que se trata de um modelo com caixa automática e com uma altura ao solo considerável.

Os modos de condução ajudam-nos a adequar o KIA Sportage às nossas necessidades. Quando temos uma descida mais acidentada e com pouca aderência, o KIA Sportage oferece o hill descent control que nos permite retirar o pé do travão, deixando o automóvel controlar a travagem durante uma descida, impede que façamos algum erro e deixa-nos mais focados na direcção, que deve ser mantida ao centro numa descida muito inclinada.

O modo de condução ECO reduz a resposta do acelerador para nos ajudar a poupar combustível, reduzindo também a performance da climatização. Já o modo Sport diminui o tempo de resposta do acelerador, proporcionando acelerações mais rápidas e eficientes.

A performance traduz-se numa aceleração dos 0 aos 100km/h em 11,8 segundos e numa velocidade máxima de 180km/h.

No campo da segurança o KIA Sportage obteve as 5 estrelas nos testes EuroNCAP com 90% na segurança dos adultos, 83% na segurança das crianças, 66% na segurança dos peões e 71% nas ajudas à condução.

Nesta versão GTLine temos alguns equipamentos que tornam a circulação mais segura. Alerta de fadiga do condutor, sistema de ajuda à descida (ideal para o todo-o-terreno), alerta de colisão frontal, sistema de ajuda ao arranque em subida, sensores de chuva e luminosidade, monitorização da pressão dos pneus, sistema de ajuda ao estacionamento com câmara, manutenção na faixa de rodagem, aviso de ângulo morto, entre outros.

O KIA Sportage está disponível a partir dos 23.810,00€ para a versão Urban 1.6 GDI (gasolina) e está disponível nos diesel a partir dos 27.490,00€ para a versão Urban com o motor diesel híbrido de 115cv. A versão ensaiada KIA Sportage GTLine 1.6 CRDi ISG 7DCT MHEV começa nos 36.240,00€. O KIA Sportage paga Classe 2 sem Via Verde e tem 7 anos de garantia. O IUC são: 181,25€ (2020)

Artigo anterior

Estas são as 5 decorações mais emblemáticas do Porsche 917!

Artigo seguinte

(Parte 2) Comprámos um carro por 400€ e fomos correr: Rollbar

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.