NoticiasTestes

Honda Jazz 1.5 VTEC Dynamic: O mais inteligente do segmento agora endiabrado!

O Honda Jazz é um utilitário inteligente. O seu formato mais alto e estreito faz com que seja um automóvel que preenche na perfeição os requisitos de quem quer um utilitário que sirva para mais do que apenas “dar nas vistas”. Com o motor 1.5 VTEC preenche também as necessidades de quem gosta de conduzir e ouvir um bom ruído de escape.

É raro vir-nos à cabeça o Honda Jazz quando pensamos em automóveis que dão prazer de guiar. Contudo, é provável que nos venha à cabeça o Honda Jazz quando pensamos num automóvel para a namorada, esposa, mãe ou irmã. E somos inteligente se pensarmos na utilização que é dada aos utilitários por uma boa maioria das pessoas que dão mais importância à versatilidade do automóvel do que ao aspecto exterior ou comportamento. Há quem queira um utilitário para transportar a família e ir às compras.

A Honda mantém a aposta no Honda Jazz e fá-lo de forma inteligente ao tentar agradar a Gregos e Troianos. Longe de ter o aspecto mais desportivo do segmento, ganha agora alguns pormenores que fazem dele um automóvel mais extrovertido e desportivo, fugindo um pouco à regra do que estamos habituados no “fofinho” Honda Jazz.

No aspecto exterior temos agora uma grelha preta brilhante de maiores dimensões com aplicações cromadas que dão continuidade à iluminação diurna LED. Nesta versão temos um pára-choques dianteiro mais desportivo com o lábio destacado a vermelho. Os faróis de nevoeiro apresentam uma moldura cromada que está situada numa aplicação preta brilhante, que acentua o aspecto cuidado e requintado. O capô é curto e mergulhante com dois vincos que sobem até ao pilar “A”.

Nas laterais temos portas de grandes dimensões com uma cintura bastante subida, vidros pequenos, tejadilho curvo e baixa altura ao solo. As capas dos retrovisores pretas e o pilar B a preto contrastam com as jantes e dianteira com aplicações a preto brilhante.

Na traseira temos um spoiler de pequenas dimensões, um pára-choques traseiro mais desportivo com aplicações plásticas tipo “extractor de ar” e temos um difusor preto brilhante também a ganhar destaque com a linha vermelha.

No equipamento exterior temos antena barbatana de tubarão, faróis de nevoeiro, ópticas full-LED, farolins traseiros com stop em LED, capas dos retrovisores pretas e jantes pretas de 16 polegadas envolvidas em pneus 185/55 R16.

Chegamos ao interior e encontramos um design algo desactualizado mas funcional. O mesmo tem uma qualidade de materiais que está longe de ser a melhor, mas que acaba por ser compensada com a qualidade da montagem. O tablier é de plástico, assim como as portas que recebem apenas tecido no encosto para os braços. Temos um apoio de braço sólido e robusto em tecido com pesponto vermelho, temos um volante em couro com pesponto vermelho a oferecer um estilo requintado, assim como o punho e fole da caixa de velocidades.

Há espaço nos lugares dianteiros e traseiros, onde um adulto consegue viajar atrás sem grande problema, ao contrário do que acontece com a maioria dos automóveis do segmento. A acessibilidade também é uma referência tanto para os lugares traseiros como relativamente ao plano de carga da bagageira. Falando em bagageira, o Honda Jazz tem a maior bagageira do segmento que “amedronta” alguns automóveis de segmento superior, falamos de 354 Litros que se estendem aos 1314 Litros com o rebatimento dos assentos traseiros que oferecem um tipo de carga totalmente plano. Têm a certeza que querem comprar um furgão?

Na lista de equipamento interior desta versão Dynamic temos assentos dianteiros aquecidos, ar-condicionado manual, entradas HDMI, USB e Aux, temos um sistema de navegação e multimédia igual ao do Honda Civic que aparece num ecrã táctil de 7 polegadas, 6 altifalantes, sensores de chuva e luminosidade, volante multi-funções, start&stop, retrovisores com recolha eléctrica, computador de bordo em ecrã TFT, controlo por voz, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia é digno da excelência. Tem uma óptima apresentação e funções a perder de vista, junta-se a um ecrã táctil de 7 polegadas, rádio AM/FM/DAB, Apple CarPlay, Android Auto, radio via internet, aplicação Aha e ainda browser para acesso à internet. Este sistema requer alguma habituação, devido ao número de funções e aplicações disponíveis. O painel de instrumentos é completo, fácil de entender e fornece as informações necessárias. Também conseguimos através das cores verde e azul, saber se estamos num regime económico ou não.

A posição de condução do Honda Jazz está longe de ser a melhor. Os condutores mais “exigentes” ou com uma posição de condução mais “especifica” podem demorar algum tempo a conseguir a posição de condução que desejam. O punho da caixa de velocidades e o volante são ergonómicos e oferecem prazer de condução.

No que toca ao comportamento dinâmico o Honda Jazz conseguiu um desempenho surpreendente no teste do Alce em Espanha, surpreendendo e batendo todas as expectativas ao ser um dos melhores do segmento no teste realizado pela KM77. Este utilitário tem um comportamento muito previsível, é fácil de conduzir, a direcção é directa q.b, o chassi é bom e permite que julguemos de forma errada o aspecto estreito e alto da carroçaria. A suspensão é firme, o que pode provocar algum desconforto, mas ajuda na hora de “dar fogo à peça”, através de um abordar de curvas bastante assertivo. A caixa manual de 6 velocidades tem um bom escalonamento e o seu manuseamento é perfeito, talvez o melhor do segmento. O Honda Jazz é um automóvel dinâmico, seguro e prazeroso de conduzir.

Debaixo do capô deste utilitário está um entusiasmante motor 1.5 Litros de 4 cilindros a gasolina com sistema de sobrealimentação de válvulas VTEC. Como um bom Honda que se prese com motor VTEC, este Honda Jazz tem o binário máximo 155Nm às 4600rpm, já a potência de 130cv acontece às 6600rpm!!! Esta receita traduz-se numa aceleração dos 0 aos 100km/h em 8,7 segundos e numa velocidade máxima de 190km/h, o que deixa outros utilitários a gasolina sobrealimentados mal vistos e mesmo alguns automóveis de segmento “C”. Ninguém está à espera que um Honda Jazz ande tanto e isso provoca alguma curiosidade relativa ao modelo que dá nas vistas devido às aplicações vermelhas na traseira e lábio dianteiro. Este motor para além de oferecer andamentos vivos relembra-nos os antigos motores VTEC quando subimos a rotações, o agradável ruído invade-nos os ouvidos tornando-se quase “viciante”.

Abaixo dos regimes onde o binário é mais alto, conseguimos consumos de 6,2 Litros a cada 100km. Claro que basta dar “asas” ao VTEC e querer ouvir a bonita melodia do escape para que estes consumos subam.

O Honda Jazz tem alguns factores ao nível da segurança que fazem a diferença como discos de travão nos eixos dianteiro e traseiro (pouco comum no segmento), sistema de ajuda ao arranque em subida, travagem activa em cidade, Distribuição electrónica da travagem, monitorização da pressão dos pneus, reconhecimento de sinais de transito, aviso de transposição involuntária de faixa e ainda câmara de ajuda ao estacionamento traseiro. Nos testes Euro NCAP Conseguiu uma pontuação de 5 estrelas em 2015 com 93% na segurança nos adultos, 85% na segurança das crianças, 73% para os peões e 73% nos sistemas de segurança.

O Honda Jazz Dynamic 1.5 VTEC de caixa manual está disponivel a partir dos 23.550,00€. Paga de IUC: 136,72€ (WLTP).

Fotos: José da Palma

Artigo anterior

Kia Portugal apresenta "Kobi", uma nova forma de comprar um automóvel!

Artigo seguinte

Abarth vence o concurso “Melhores Marcas” da Auto Bild

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.