EnsaiosNoticias

Honda Civic 1.0 VTEC Elegance: Satisfação de mãos dadas com a razão!

Estivemos ao volante do Honda Civic, outra vez… Mas desta vez foi diferente, a Honda decidiu ceder-nos um nível de equipamento intermédio com a motorização de entrada de gama, um modelo que nos apresenta novidades pouco percetíveis, devido a uma atualização tímida.

A frente pouco mudou, a marca nipónica preservou o capo largo e mergulhante, as óticas full led e a grelha. Mas há novidades provenientes de uma atualização, falamos de uns defletores pouco visíveis por cima dos faróis de nevoeiro, que só não escapam aos olhares mais atentos.

As alterações podiam ser mais profundas? Podiam! No entanto, quando há atualizações demasiado “vistosas”, quem sofre são os proprietários dos automóveis “pré-facelift” que acabam por “levar” com as depreciações do mercado, nesse sentido, podemos assumir que a Honda está a ser “simpática” com os seus clientes, embora as alterações não se fiquem pelo já mencionado.

Nas laterais não há alterações, mas o caso muda de figura quando chegamos à traseira, embora não mude radicalmente, uma vez que as alterações se voltam a resumir aos frisos acabados à cor da carroçaria, inseridos nas molduras pretas que albergam os refletores.

Ainda no exterior temos jantes de 17 polegadas envolvidas em pneus 235/45, vidros traseiros escurecidos, óticas e farolins LED, faróis de nevoeiro, entre outros.

O acesso aos lugares traseiros é dificultado por uma abertura de porta pouco generosa e por um tejadilho inclinado que não facilita a passagem da cabeça. Uma vez sentados, viajamos confortáveis, com bom apoio lateral, bom apoio para as pernas e ainda espaço suficiente para acomodação das pernas, cabeça e ombros.

Falando em “acomodar”, o Honda Civic não se deixa intimidar quando chega a altura de armazenar objetos. O espaço no apoio de braço central dianteiro parece a mala de uma senhora, onde cabe tudo e mais alguma coisa! Mas o armazenamento entre o condutor e o passageiro não é o único que satisfaz bastante, uma vez que as bolsas das portas dianteiras também são generosas e a bagageira é uma das maiores do segmento com 478 Litros de capacidade, que se estendem aos 1267 Litros com o rebatimento dos assentos traseiros.

No interior o design é agradável dinâmico e cuidado, a qualidade dos materiais é boa acima do nível da cintura nos lugares dianteiros. A insonorização não está ao nível de alguns concorrentes, mas também não nos tira o sono, uma vez que o Honda Civic tem um habitáculo que agrada quem gosta de conduzir e que promete viagens comodas aos passageiros.

A versão Elegance está dotada do seguinte equipamento: A/C Automático com controlo duplo da climatização , Volante em pele, Punho da alavanca das Mudanças em pele, Pedais em alumínio, Sensores de estacionamento (traseiros e dianteiros), Honda CONNECT NAVI Garmin – (ecrã tátil de 7″, AM/FM/ DAB, rádio via internet, aplicação Aha™, navegador de internet, Apple CarPlay e Android Auto™), 2x entradas USB / HDMI, Câmara traseira de auxílio ao estacionamento, Vidros escurecidos , Limpa-vidros automáticos (dianteiro) com sensor de chuva , Espelhos retrovisores exteriores com retração elétrica, Espelhos retrovisores exteriores retráteis com comando à distância (atrás da chave), travão elétrico de estacionamento, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia tem uma apresentação já ultrapassada, conta agora com botões físicos que melhoraram o acesso a alguns menus. As funções são praticamente as mesmas: rádio AM/FM/DAB, Apple CarPlay, Android Auto, radio via internet, aplicação Aha e ainda browser para acesso à internet. Continua com 2 entradas USB, HDMI e está ligado a 11 altifalantes de elevada potência. Apesar das mais-valias, este sistema requer alguma habituação, pois é pouco intuitivo e é algo lento.

O painel de instrumentos é colorido e completo, revela muitas informações relacionadas com a viagem e consumos de combustível de forma simples e clara.

A posição de condução é agradável, o volante e o punho da caixa de velocidades têm pegas ergonómicas. A visibilidade para a dianteira não é brilhante, mas pior é a visibilidade para a traseira. A má visibilidade está diretamente relacionada com pilares largos e um formato da traseira pouco “amigo do condutor”.

A direção é direta, a caixa de velocidades é bem escalonada e o motor 1.0 Litros Turbo VTEC é provavelmente o melhor motor a gasolina sobrealimentado e de baixa cilindrada do mercado. É este “bom coração” que vai proporcionar acelerações entusiasmantes e um aumento significativo do prazer de condução.

O motor equilibrado junta-se a um chassi que oferece estabilidade e a uma suspensão que nos permite sentir a estrada e viajar com conforto. Mesmo quando queremos conduzir um pouco mais depressa, sabemos que todos os elementos estão ajustados para oferecer segurança e prazer de condução.

A utilização do Turbo a rotações mais baixas é compensada pela abertura do sistema de sobrealimentação de válvulas VTEC nas rotações mais elevadas. Esta característica faz com que este motor 1.0 Litros de 3 cilindros tenha uma subida de rotação mais linear quando comparada a outros motores de 3 cilindros, que são por norma pouco redondos e “desconfortáveis” de conduzir.

Este motor 1.0 Litros Turbo com 3 cilindros em linha, debita 129cv de potência às 5500rpm e 200Nm de binário às 2250rpm. Esta receita proporciona prestações mais do que satisfatórias, uma vez que conseguimos uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 11,2 segundos e uma velocidade máxima de 203km/h.

O melhor de tudo isto são os consumos que rondaram os 6,5 litros no nosso ensaio, com uma condução normal, sem grandes cuidados com o pé direito. Acreditamos que com quilómetros e tento no pé consigamos médias mais próximas dos 6 Litros a cada 100km. Ainda assim, não é nada mau para um automóvel com um motor 1.0 Litros com 1350kg de peso.

No que toca à segurança a Honda não “facilitou”, Airbag SRS do condutor, Airbag SRS do passageiro com interruptor de corte, Airbags laterais (dianteiros), Airbags de cortina (dianteiros e traseiros), Encostos de cabeça dianteiros antichicotada , ABS (Sistema de travagem anti-bloqueio), Distribuição eletrónica da força de travagem (EBD), Assistência à travagem (BA), Assistência à estabilidade do veículo (VSA), Assistência ao arranque em subidas (HSA), Cintos de segurança dianteiros com enroladores de bloqueio de emergência de 2 fases (ELR), Cintos de segurança traseiros com enroladores de bloqueio de emergência (ELR), Fixadores ISO Fix , Luz de stop de emergência, Sistema de alerta de esvaziamento de pneus (DWS), Sistema de travagem atenuante de colisões, Avisador de colisões dianteiras, Sistema assistência à manutenção na faixa de rodagem, Avisador de saída de faixa, Sistema atenuante de saída de estrada, Limitador inteligente da velocidade, Controlo inteligente da velocidade de cruzeiro adaptável, Sistema de reconhecimento da sinalização de trânsito, Função de seguimento a baixa velocidade (Low speed following).

A versão ensaiada Elegance está disponivel por 26.880,00 €.

Este novo Honda Civic paga de IUC: 100,08€.

Leia aqui o nosso ensaio ao Honda Civic Type-R FK8.

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Avançado sistema i-Activ AWD permitiu ao Mazda CX-30 explorar as maravilhas do Cazaquistão

Artigo seguinte

KIA VIBE com mais uma estreia: já é possível obter financiamento automóvel online

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.