Artigos

Porsche aumenta a receita e o resultado operacional no primeiro semestre!

Nos primeiros seis meses de 2018, a Porsche AG aumentou o seu resultado operacional, a receita, as entregas e o número de funcionários. O resultado operacional subiu ligeiramente, na ordem de um por cento até aos 2,2 mil milhões de euros, enquanto a receita subiu quatro por cento, até aos 12,3 mil milhões de euros. O retorno operacional nas vendas foi de 17,5 por cento. Na primeira metade de 2018, as entregas subiram três por cento, até aos 130.598 veículos e a força de trabalho cresceu cinco por cento, até aos 30,785 funcionários.

“A nossa performance na primeira metade do ano dá-nos uma base forte para um ano de 2018 de sucesso em termos financeiros”, afirmou Oliver Blume, Presidente do Conselho Executivo da Porsche AG. “É particularmente recompensador observar que o icónico 911 tem imensa procura, neste ano em que celebramos os ‘70 anos dos automóveis desportivos Porsche’. Estamos também, de forma contínua, a investir no futuro da nossa marca: eletrificação, digitalização e conetividade são os maiores desafios e nós escolhemos vê-los como uma oportunidade. No próximo ano vamos assistir ao lançamento no mercado do Taycan, o primeiro Porsche puramente elétrico. Vai estabelecer padrões para o futuro da mobilidade”, afirmou Blume.
Lutz Meschke, CFO da Porsche, acredita que essa combinação de efeitos positivos e o desenvolvimento em áreas além no negócio de vendas automóveis – como o após-venda e os serviços de consultoria MHP e Porsche Consulting – todos juntos, contribuíram positivamente para o resultado. Em sentido inverso, investimentos consideráveis em temas como a eletrificação e o desenvolvimento de novas áreas de negócio. “Vamos enfrentar alguns desafios na segunda metade deste ano”, afirmou Meschke. Especificamente, Meschke acredita que a empresa vai precisar de se adaptar à situação incerta em termos políticos e económicos e também assegurar que a sua gama de modelos é compatível com os novos padrões de emissões na Europa. “Mesmo assim, vamos continuar a perseguir o nosso objetivo estratégico de alcançar um retorno operacional de, pelo menos, 15 por cento”, disse o CFO.

Em relação à entrega de veículos, o Panamera alcançou a maior subida na primeira metade do ano: até ao final de junho, a Porsche entregou a clientes 20.500 unidades do automóvel desportivo de quatro portas, quase o dobro do alcançado no período homólogo do ano anterior. O 911 alcançou também um crescimento de dois dígitos, chegando aos 28%, num total de 21.400 veículos entregues. O maior volume continua a ser do Macan com 46.600 veículos entregues e do Cayenne com 28.700 entregas. No seu mercado doméstico, o alemão, a Porsche teve um crescimento de onze por cento no primeiro semestre de 2018 e de nove por cento, se tivermos em conta todo o mercado europeu. A China continua como o mercado mais forte em termos individuais para a Porsche, com 33.363 veículos entregues, à frente dos EUA (29.421 veículos).

Artigo anterior

Henrique Van Uden: Entrevistámos o vencedor do KIA Racing Opportunity!

Artigo seguinte

Honda Civic Type-R e Jenson Button são os mais rápidos em Hungaroring!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *