NoticiasTestes

Mazda CX-5 Excellence Navi 2.0 SKYACTIV-G: Imponente e económico!

É fácil ficar assustado quando se ouve gasolina e SUV na mesma frase, principalmente se associado à palavra gasolina estiver um motor 2.0 Litros com 165cv. O Mazda CX-5 prova-nos que é possível ter um automóvel imponente a gasolina sem que seja necessário ser accionista de gasolineiras.

Já tínhamos estado do novo Mazda CX-5 com a motorização diesel 2.2 SKYACTIV com tracção dianteira e tracção integral. Chegou a vez da Mazda nos ceder o Mazda CX-5 2019 com o motor a gasolina de 165cv com caixa manual e tracção dianteira.

O aspecto exterior mantém-se, temos um automóvel robusto, elegante, imponente e que dá nas vistas sem exageros. Nesta versão Excellence temos ópticas e farolins LED, chaves mãos-livres, faróis de nevoeiro, vidros traseiros escurecidos, antena Shark, portão traseiro automático e jantes de 19 polegadas envolvidas em pneus 225/55.

No interior o Mazda CX-5 tem qualidade premium com abundância de materiais moles, emborrachados e agradáveis ao toque, associados a uma qualidade de construção irrepreensível. A utilização do couro e dos pespontos proporcionam um toque extra de requinte, assim como a utilização dos cromados e a simulação de madeira nas portas e tablier. Em termos de design a Mazda continua a apostar na simplicidade e na utilização de poucos botões, o que resulta num aspecto limpo e agradável à vista.

O espaço é garantido nos lugares dianteiros e traseiros e a acessibilidade também é boa. O conforto e assegurado por assentos ergonómicos que têm apoio lombar quanto baste. A bagageira tem capacidade para 506 Litros que podem chegar aos 1620 Litros através do rebatimento dos assentos traseiros.

No que toca ao equipamento temos ar-condicionado automático de dupla zona, Head-Up Display, travão automático de estacionamento, painel de instrumentos digital, sistema de navegação e multimédia com botão rotativo, cruise-control adaptativo, alerta de transposição involuntária de faixa, faróis direccionais, assento do condutor com regulação eléctrica, assentos dianteiros aquecidos, aviso de ângulo morto, botão de ignição, sistema de monitorização da pressão dos pneus, saídas da climatização para os lugares traseiros, máximos automáticos, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, sistema de som premium BOSE com 10 altifalantes e ainda entradas USB no apoio de braço dos lugares traseiros.

O sistema de navegação e multimédia da Mazda aparece num ecrã de 7 polegadas, que são dimensões bastante reduzidas face à concorrência. A Mazda volta a ganhar pontos no que toca à facilidade de utilização. Temos navegação, telefone, multimédia, mas não está preparado para Android Auto nem Apple CarPlay, o que quer dizer que os utilizadores mais “exigentes” podem achar este sistema pouco completo.

O Painel de instrumentos é agora digital, igual ao já presente no novo Mazda 3. Para além de oferecer um aspecto mais tecnológico e futurista também se torna mais completo ao apresentar os dados de manutenção, ajuda à condução, dados de consumos e viagem, entre outros.

A posição de condução é agradável e envolvente. O volante tem uma boa pega, os assentos são confortáveis e tem apoio q.b. A tarefa da condução do Mazda CX-5 é de um modo geral bastante prazerosa.

O comportamento do Mazda CX-5 é agradável e tem um comportamento previsível, devido a um chassi competente que “encobre” bem o tipo de suspensão mais condescendente e ajustada em prol do conforto.

Um dos elementos mais impressionantes da versão ensaiada está debaixo do capô e é o motor 2.0 Litros SKYACTIV-G de 4 cilindros com 165cv de potência e 213Nm de binário. Este motor não é sobrealimentado, o que quer dizer que é bastante linear na entrega de potência, ajudando a condução a tornar-se ainda mais prazerosa. Este motor estava ligado a uma caixa manual de 6 velocidades, justa e precisa como já é típico da Mazda. A tracção é às rodas dianteiras.

Os andamentos do Mazda CX-5 com esta motorização 2.0 Litros SKYACTIV-G a gasolina não são os mais vivos de sempre. A potência máxima ocorre às 6000rpm e o binário máximo é atingido às 4000rpm, o que quer dizer que quando queremos dar “fogo à peça” temos que elevar bastante as rotações, o que se torna agradável ao ouvido devido ao agradável ruído proporcionado pelas rotações mais altas. Nas rotações mais baixas, não temos um automóvel anémico, pois trata-se de um motor 2.0 Litros de cilindrada com 165cv. Apesar de ser uma receita pouco convencional é realmente surpreendente na altura em que olhamos para o consumo de combustível e este se encontra entre os 6,5 Litros e os 6,8 Litros em percursos mistos, com e sem trânsito.

No que toca à performance temos uma aceleração dos 0 aos 100km/h que acontece em 10,3 segundos, antes de atingir os 201km/h de velocidade máxima.

Na segurança, o Mazda CX-5 conta com monitorização da pressão dos pneus, aviso de ângulo morto, luzes de máximos automáticas, aviso de transposição involuntária de faixa com correcção de volante, alerta de tráfego cruzado à retaguarda, travagem activa de emergência, reconhecimento de sinais de trânsito, entre outros. Nos testes Euro NCAP o Mazda CX-5 conseguiu uma pontuação de 5 estrelas com 95% na protecção dos adultos, 80% na protecção das crianças, 78% na protecção dos peões e 58% nas ajudas à condução.

O preço da versão ensaiada Mazda CX-5 2.0 SKYACTIV-G Excellence Navi encontra-se nos 35.905,73€ com pintura metalizada. Paga de IUC: 238,66€ (WLTP)

Artigo anterior

Jeep Renegade eleito "SUV Urbain de l'Année"!

Artigo seguinte

FCA aceita fusões e alianças... Maserati irá manter-se sob a alçada do grupo!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.