Noticias

Hyundai i30 NLine 1.6 CRDi DCT 7: Dia-a-dia em modo “N”!

Há muito que as marcas oferecem aos automóveis convencionais de vários segmentos, uma versão desportiva, mais espigada e destinada a bater recordes de pista. De há alguns anos, até aos dias de hoje, as marcas passaram a criar versões convencionais com inspirações mais desportivas, através de carroçarias mais agressivas e detalhes dignos de verdadeiros desportivos. A Hyundai foi mais longe com o Hyundai i30 NLine que é um verdadeiro “desportivo para o dia-a-dia”, tanto no aspecto exterior e interior como na personalização.

A estética do Hyundai i30 NLine convence pela positiva, uma vez que a marca coreana realçou as características mais desportivas da versão convencional, através da aplicação de alguns elementos inspirados na versão desportiva.

Face a uma versão “convencional” a Hyundai dotou este NLine de pára-choques mais desportivos com elementos herdados do Hyundai i30 N, grelha dianteira preta, lábio dianteiro saliente, ópticas escurecidas, capas dos retrovisores pretas, emblemas NLine nas laterais e luzes de iluminação diurna embutidas nas entradas de ar do pára-choques dianteiro. Ainda se destacam o pára-choques traseiro com um difusor, dupla saída de escape generosa, spoiler traseiro preto, vidros traseiros escurecidos e ainda jantes de 18 polegadas envolvidas em pneus 225/40.

No interior, o estilo desportivo também foi vincado através de um volante com pele perfurada, semelhante ao encontrado no Hyundai i30 N, assentos desportivos em pele e alcantara com maior apoio lateral, punho da caixa de velocidades em pele perfurada e decoração “N”, pedais em alumínio e patilhas da caixa de velocidades generosas atrás do volante. Se por vezes este tipo de alterações podem resumir-se a uma questão “estética” no Hyundai i30 NLine é como se estivéssemos a guiar um automóvel diferente dos Hyundai i30 convencionais, uma vez que a envolvência do condutor no habitáculo foi realmente melhorada.

A acessibilidade ao interior do Hyundai i30 é relativamente fácil, uma vez que temos uma abertura de portas generosa q.b tanto no acesso aos lugares dianteiros, como no acesso aos lugares traseiros. Uma vez sentados, temos espaço para pernas, ombros e cabeça. Os assentos proporcionam bom apoio para as pernas e bom apoio lateral.

O interior não satisfaz apenas a habitabilidade, uma vez que há espaço suficiente para objectos. O porta-luvas é espaçoso, assim como as bolsas das portas e o apoio de braço central dianteiro. A bagageira tem 395 Litros que se estendem aos 1301 Litros.

É fácil sentirmo-nos bem a bordo, uma vez que há qualidade presente nos materiais que são emborrachados no tablier e portas dianteiras e traseiras até abaixo do nível da cintura. A montagem é rigorosa, uma vez que não há ruídos parasitas a bordo.

No que toca ao equipamento, o Hyundai i30 NLine satisfaz com um ecrã de navegação e multimédia de 8 polegadas, um painel de instrumentos analógico com computador de bordo digital, ar-condicionado automático de dupla-zona, apoio de braço central traseiro, acesso interior ao compartimento da bagageira (Ski Through), entradas USB e Aux, entradas de 12volts nos lugares dianteiros e bagageira, sensores de chuva e luminosidade, modos de condução, câmara de ajuda ao estacionamento traseiro, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia aparece num ecrã de 8 polegadas com boa imagem. Está acessível ao condutor, é extremamente intuitivo e traz ao Hyundai i30 NLine conectividade, através das informações meteorológicas e de trânsito. Utilizar o Waze, Google Maps ou Spotify torna-se também possível com o Android Auto ou Apple CarPlay.

O painel de instrumentos analógico pode ficar “atrás” de alguns painéis totalmente digitais apresentados pela concorrência, mas não deixa de apresentar toda a informação de forma clara e completa. No computador de bordo digital temos acesso aos sistemas de segurança, dados de manutenção do automóvel, dados de consumo e viagens, multimédia, navegação, entre outros.

A bordo, esta versão NLine não tem um conforto comparável com os Hyundai i30 convencionais. Sente-se cada irregularidade da estrada e o ruído aerodinâmico a partir dos 120km/h é bastante notável. Todavia, é um automóvel com suspensão e chassi pouco condescendentes, que nos transmite um prazer de condução muito mais “aprumado” face às versões convencionais do i30, na altura de dar fogo à peça. Porém, é natural que todos estes factores façam com que as viagens não sejam “a nata da nata” do conforto.

A posição de condução é agradável, os comandos encontram-se todos à mão e as patilhas da caixa têm as dimensões ideais, o condutor sente-se perfeitamente inserido no interior desportivo e a condução é envolvente. Os pilares das portas são largos, o que acaba por prejudicar a visibilidade, principalmente para a traseira.

O comportamento dinâmico do Hyundai i30 NLine agrada, o chassi tem rigidez, a direcção é directa q.b e a caixa de velocidades é rápida q.b no modo manual. Num ritmo mais empenhado a carroçaria pouco adorna e a precisão na inserção em curva parece “constante”. Numa estrada mais irregular, o Hyundai i30 NLine torna-se algo “saltitão” devido à sua configuração mais “desportiva” e pouco condescendente.

Debaixo do capô encontramos um motor 1.6 CRDi com 136cv de potência às 4000rpm e 320Nm de binário entre as 2000rpm e as 2250rpm. A potência é enviada para as rodas através de uma caixa automática DCT com velocidades. Com esta receita a aceleração dos 0 aos 100km/h ocorre em 10 segundos e a velocidade máxima é de 200km/h.

Na utilização, o motor 1.6 CRDi satisfaz pela sua disponibilidade, uma vez que nos satisfaz nas mais variadas situações, quer em ultrapassagens, quer quando queremos apenas imprimir um ritmo mais despachado. Contudo, a caixa de velocidades automática DCT de 7 velocidades, realiza as trocas no modo automático, por vezes, tardiamente, fazendo com que os consumos subam, algo que se justifica com o binário disponível apenas a partir das 2000rpm.

Falando em consumo de combustível, o Hyundai i30 N Line realizou no nosso ensaio uma média de 7,2 Litros a cada 100km, em percursos mistos.

Na condução temos 3 modos: Sport, Normal e Eco. Estes alteram a resposta do acelerador, que se torna mais ou menos rápida, consoante o tipo de condução que pretendemos adoptar.

No campo da segurança, o Hyundai i30 NLine oferece a monitorização da pressão dos pneus, alerta de fadiga do condutor, sistema de ajuda ao arranque em subida, monitorização da pressão dos pneus, travagem activa de emergência, alerta de colisão dianteira, máximos automáticos, entre outros.

Nos testes Euro NCAP, o Hyundai i30 obteve as 5 estrelas nos Testes Euro NCAP com 88% na protecção dos adultos, 84% na protecção das crianças, 64% na protecção dos peões e 68% nas ajudas à condução.

No que toca aos preços, o Hyundai i30 NLine 1.6 CRDi está disponível a partir dos 26 557,11€ para a versão de caixa manual. A versão ensaiada com caixa DCT de 7 velocidades está disponível a partir dos 28 007,11€. Paga de IUC: 146,79€. Relembramos que a Hyundai está a oferecer 7 anos de garantia sem limite de quilómetros.

Podem ler aqui o nosso ensaio ao Hyundai i30 N Fastback!

Artigo anterior

Nissan LEAF Dream Drive embala o seu bebé

Artigo seguinte

Quando os carros são super-heróis

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.