NoticiasRúbricas

CarZoom num “coaching” de condução com a Driving X!

Foi no mês passado que estivemos ao volante do Hyundai i30N, um modelo que decidimos fotografar no kartódromo do Campera. Juntámos o útil ao agradável, levámos o nosso Kosmic Mercury com motor Iame X30 e convidámos o “personal trainer” da condução Pedro Alves Nogueira da Driving X, para nos ajudar a melhorar!

O tempo era escasso por duas razões: Não queríamos desgastar o material de um automóvel que é de imprensa e que tem de chegar em condições favoráveis ao próximo meio de comunicação social, e também porque tínhamos cerca de 1 hora para fotografar o Hyundai. O que fizemos? Voltámos a juntar o útil ao agradável e durante as voltas da sessão fotográfica trouxemos connosco o Pedro Alves Nogueira.

O Hyundai i30 N é um desportivo compacto com 275cv de potência, por isso, não é de todo o veículo ideal para circular no curto traçado do Campera Karting, o que não quer dizer que não seja um excelente automóvel para “aprender”, principalmente quando temos as “dicas certas”.

Dosear 275cv num automóvel de tração dianteira, com as ajudas desligadas e num kartódromo curto e sinuoso como o Campera, não é a tarefa mais fácil. Felizmente, estávamos ao volante de um dos desportivos de tração dianteira mais puros e prazerosos do mercado. Estas características traduzem-se numa comunicação sublime com o condutor, o que nos “facilita o trabalho”, porque o comportamento deste automóvel é previsível e assertivo, o que significa um “feedback” constante para o condutor.

Apesar de todas as qualidades do automóvel, nem sempre a peça que está entre o assento do condutor e o volante é a mais afinada ou a melhor. Há “erros de condução” que são difíceis de detectar, por parte de quem está a conduzir, mesmo quando já não é a primeira vez num determinado circuito ou num automóvel com determinadas características. É neste campo que uma dica ou um conselho pode melhorar tempos, poupar material e até evitar colisões dispendiosas.

O acompanhamento da Driving X ao longo dos curtos 10 minutos não teve a ver com ensinamentos de condução desportiva ou defensiva, podemos chamar-lhe “coaching”.

Apesar de termos já testado dezenas de automóveis desportivos, de termos percorrido o traçado de vários circuitos do país e termos dado centenas de voltas ao Kartódromo do Campera, houve algumas dicas que se tornaram eficientes, melhoraram tempos e fizeram com que o desgaste do material fosse mais reduzido.

Muitas das vezes, a tendência de um piloto é travar o mais tarde possível. Apesar de considerarmos bom travar tarde, por vezes, esta medida não é visível no cronómetro. No exigente traçado do Campera, travar tarde com um automóvel de 275cv, pode significar ter de virar mais o volante, sair da trajectória, ter de acelerar muito mais tarde, estragar mais pneus e até mesmo arriscar uma colisão desnecessária em prol de um tempo pior do que se travarmos mais cedo.

Embora não estivéssemos a contar tempos, percebemos que este tipo de dicas podem fazer toda a diferença, mas vamos deixar em paz o carro de imprensa, para que este chegue em condições ao parque e vamos andar de Kart!

Os karts significam “voltar ao básico da condução”. Por vezes, “voltar ao início” é uma mais-valia e relembra-nos alguns conceitos que acabam por se perder no tempo pelas mais variadas razões, talvez seja por isso que praticamente todos os pilotos de velocidade ainda tenham o seu kart para alguns treinos.

Não há melhor forma de treinar, a começar pelo facto de ser algo nosso e não estarmos preocupados com pneus, gasolina ou mesmo com um possível acidente, algo que é uma preocupação constante quando se anda em circuito com um automóvel de imprensa que não é nosso.

Convidámos o Pedro Alves Nogueira a conduzir o nosso Kart, embora não tivesse sido de todo a primeira experiência deste piloto nos Karts, uma vez que este chegou a competir em troféus a nível nacional. A experiência era notável e também nos ensinou, as travagens com o kart direito, o aproveitar a pista, as zonas de aceleração. Esta é a altura em que percebemos que “a ver também se aprende”.

Seja nos Karts, seja nos automóveis, ter alguém que sabe mais do que nós a “afinar” a nossa condução e a trabalhar na nossa melhoria, tem sempre resultados significativos. Este dia passado no Kartódromo do Campera com a Driving X teve um resultado efetivo com pouco tempo de aconselhamento. Os nossos tempos baixaram, a condução tornou-se mais consistente e aprendemos a aproveitar melhor a pista.

Algumas das afinações à condução só se conseguem com um “coaching” profissional ou com um piloto experiente munido de capacidades pedagógicas, uma vez que há muitos campeões sem jeito para ensinar. Neste caso, o Pedro Alves Nogueira transmite conhecimentos de forma clara e calma, uma característica que só beneficia quem está ao volante, uma vez que conduz mais sereno, com melhor raciocínio e com maior capacidade de entender os próprios erros.

Esta foi sem dúvida uma experiência a repetir.

Saiba mais em: www.drivingx.pt

Fotos: João Santos / Catarina Rodrigues

Artigo anterior

Renault DP World F1 Team aposta num bom resultado

Artigo seguinte

Toyota é novamente a marca automóvel mais valiosa do mundo, segundo a Interbrand™

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.