EnsaiosNoticiasZoom Eco

Toyota PRIUS Hybrid AWD: Triplamente Prius!

A Toyota ofereceu ao Toyota Prius mais um motor, o que o torna ainda “mais Prius”. A Toyota preservou a utilização confortável do ponto de vista do espaço interior, visibilidade e facilidade de condução, ou seja, tudo aquilo a que este modelo nos habitou ao longo de todas as suas gerações.

É fácil lembrarmo-nos do Toyota Prius quando pensamos num híbrido. Hoje, a Toyota tem uma gama recheada de automóveis com assistência eléctrica, mas durante anos, este foi o principal representante dos automóveis híbridos no mercado Português. Relembramos que a primeira geração do modelo chegou ao mercado quando ainda pouco se falava em Norma CAFE, ou mesmo em emissões de gases poluentes, algo que nos tempos que correm, obriga as marcas de automóveis a repensar a sua forma de desenvolver e produzir os seus veículos.

A primeira geração do Toyota Prius surgiu em 1997 e estava equipada com um motor 1.5 Litros a gasolina, que se associava a um motor eléctrico. Em conjunto, debitavam pouco mais de 70cv. O Toyota Prius não era o automóvel com o design mais apelativo, mas sempre foi perito em conciliar o consumo de combustível agradável à condução simples e à habitabilidade, algo que se mantém até aos dias de hoje.

O Toyota Prius foi conquistando o público mais sensível ao tema do ambiente e ao tema de economia, se pensarmos num automóvel que privilegie um custo de utilização reduzido e uma condução simples, somos obrigados a considerar o Toyota Prius como o principal meio de transporte, para nós, é aos dias de hoje o melhor híbrido para a utilização diária, uma vez que há relatos de quem pague menos de 100,00€ por revisão na marca e substitua pastilhas de travão perto dos 100.000km. Tudo depende da condução, mas é raro o proprietário de um Toyota Prius que não “se gabe” do pouco dinheiro que gasta com o seu automóvel. Estes e outros factores, levaram a que ao longo de muitos anos se associasse os híbridos ao mítico Toyota Prius.

A evolução ao longo dos anos foi notável, os Prius tornaram-se mais tecnológicos, mais eficientes,, mais confortáveis, mais bonitos e melhor equipados. Nesta geração do Toyota Prius, a marca nipónica estreou uma versão híbrida plug-in e estreia agora o modelo com tracção integral facultada por um motor térmico e dois motores eléctricos.

O exterior do Toyota Prius está mais “nave espacial” do que nunca! A carroçaria é comprida, dotada de um design muito fluído e aerodinâmico que tem um impacto notável na eficiência.

Do design exterior sobressai a grelha dianteira muito fina, que condiz com as ópticas estreitas e pontiagudas e com o capô, que não podia ser mais mergulhante. A linha de cintura é direita e elevada, sobe até à traseira com um aspecto mais “direito”, que oferece ao Toyota Prius maior sobriedade. Os pilares finos ajudam o condutor na tarefa da condução.

No exterior contamos com jantes de 17 polegadas com dois tons, vidros traseiros escurecidos, chave mãos-livres, faróis de nevoeiro, luzes LED e não podiam faltar os logos Toyota com acabamento azul e badges “Hybrid”.

O acesso ao interior é fácil, uma vez que as portas têm uma abertura boa q.b, tanto para os lugares dianteiros como para os lugares traseiros. O espaço no interior também abunda, uma vez que conseguimos viajar quase de “perna cruzada” nos lugares traseiros, há espaço q.b para ombros e cabeça. A bagageira dá continuidade ao “panorama familiar”, uma vez que nos brinda com 456 Litros de capacidade, menos 45 Litros que o Prius de tracção dianteira (devido ao motor traseiro). Através do rebatimento dos assentos, temos um transporte de carga plano, o que é uma mais-valia. O porta-luvas tem dimensões aceitáveis e o apoio do braço central dianteiro não nos deixa faltar espaço para colocar objectos, assim como as bolsas das portas.

Os assentos são ergonómicos, têm apoio lombar q.b e associados às suspensões bastante condescendentes proporcionam viagens confortáveis.

No design interior temos uma consola saliente e flutuante, um painel de instrumentos colocado ao centro com ecrãs de dimensões generosas e um manipulo da caixa de velocidades colocado logo abaixo da consola central. O volante é ergonómico e multi-funções e as saídas da ventilação são “adornadas” com o nome “Prius” ao centro.

No que toca ao equipamento interior, temos um sistema de navegação e multimédia Toyota Touch 2 Go em ecrã de 8 polegadas, sensores de chuva e luminosidade, assentos dianteiros aquecidos, luzes dianteiras adaptativas, câmara de ajuda ao estacionamento, ar-condicionado automático de dupla-zona, carregador wi-fi de smartphone, 6 colunas de som, estofos em pele, entradas USB, AUX e ligação bluetooth, botão start da ignição, assento do condutor com ajuste lombar eléctrico, cruise-control adaptativo, entre outros.

O sistema Toyota Touch 2 pode tornar-se confuso e lento, embora não tenha erros ou ausências de informação. Tem uma definição aceitável, permite-nos aceder à navegação com informação de transito em tempo real, multimédia, internet, definições do automóvel e ainda ao “Monitor de energia”. Nesta aplicação é possível ver todo o ciclo de consumo de energia e carga acumulada na regeneração.

Logo por cima do tablier temos o “Head-up display” e um painel de instrumentos completissimo que aparece em ecrãs de 4,2 polegadas. Esses ecrãs apresentam: modos de condução, consumo de combustível, velocidade, temperatura exterior, posição da caixa de velocidades, sistemas de segurança, bússola, multimédia, climatização e informações acerca do sistema híbrido.

A posição de condução do Toyota Prius é alta, oferece conforto e uma óptica visibilidade, devido em parte ao pilares finos das portas. À boa posição de condução juntam-se o volante ergonómico, a direcção leve e comandos intuitivos, que fazem com que a tarefa de conduzir o Toyota Prius seja “harmoniosa”.

A caixa de velocidades de variação contínua é funcional, simples de utilizar, mas ruídosa, algo que conseguimos perdoar, devido ao facto de ser uma das principais causas dos maravilhosos consumos de combustível. O chassi do Toyota Prius não é o de um automóvel de corrida, mas satisfaz o tipo utilização de quem procura um automóvel económico e confortável. A suspensão condescendente ajuda o Toyota Prius a ser um automóvel em que é agradável viajar.

Debaixo do capô temos dois motores, um a gasolina 1.8 Litros e um motor eléctrico. Mas estes não são sozinhos, uma vez que colocado sob o eixo traseiro, está um segundo motor eléctrico que envia a sua potência para as rodas traseiras. Os motores eléctricos são independentes, mas alimentados pela mesma bateria de iões de lítio de recarga automática (regeneração), com 8,8kWh. O motor eléctrico dianteiro e motor a gasolina de 1.8 de 4 cilindros, funcionam em conjunto. O motor independente, colocado sob o eixo traseiro, funciona de forma independente nos arranques até 10km/h, ou quando há perdas de tracção até 70km/h, o que mantém o desempenho eléctrico e a utilização extensa q.b deste Toyota Prius no modo totalmente eléctrico.

O conjunto de motorizações debita 122cv de potência e 142Nm de binário provenientes da componente térmica e 162Nm de binário provenientes do propulsor elétrico, uma vez que os motores eléctricos tem 5,3kW de capacidade. Estas especificações traduzem-se numa aceleração dos 0 aos 100km/h em 10,9 segundos, enquanto a velocidade máxima se fica pelos 160km/h.

O surpreendente não é a performance, até porque não foi para isso que o Toyota Prius foi concebido! Falamos de consumos de combustível. No nosso ensaio de mais de 400km, o Toyota Prius realizou médias de 3,5 Litros a cada 100km, menos 0,6 Litros do que o declarado nos testes ao abrigo da norma WLTP. Só um automóvel concebido com este propósito consegue consumos tão surpreendentes, ou não estaríamos a falar daquele que pode ser considerado “o pai de todos os híbridos”.

Até o automóvel mais económico tem os seus “truques na manga”, falamos dos modos de condução que nos ajudam a explorar a máxima performance do Toyota Prius, a melhorar os consumos de combustível, ou a utilizá-lo sem pensar na performance ou consumos. Falamos dos modos Sport, Eco ou Normal que adequam a resposta do acelerador, performance da climatização e direcção.

Na segurança, o Toyota Prius apresenta uma série de sistemas logo no nível de entrada de gama como Sistema de Segurança Pré-colisão com reconhecimento de peões, regulador de velocidade adaptativo, correcção de direcção na transposição involuntária de via, máximos automáticos e reconhecimento de sinais de trânsito. A estes sistemas juntamos a ajuda ao estacionamento, monitorização da pressão dos pneus, ajuda ao arranque em subida, entre outros.

Nos testes Euro NCAP o Toyota Prius obteve as 5 estrelas em 2016 com 92% na protecção dos adultos, 82% na protecção das crianças, 77% na protecção dos peões e 85% nas ajudas à condução.

A Toyota oferece 7 anos de garantia ou 160.000km em todos os novos modelos de passageiros. O Novo Toyota Prius está disponível a partir dos 32.790,00€ para a versão Exclusive com tracção integral. A versão ensaiada Liftback 4X4 começa nos 39.790,00€ (sem pintura metalizada). O Toyota Prius paga de IUC: 204,21€ e emite cerca de 99g/km de CO2.

Leia aqui o ensaio ao Toyota Prius Plug-In Hybrid

Fotos de: João Santos

Artigo anterior

Volvo Car Portugal vence Prémio Impresa “Melhor Anunciante 2019”

Artigo seguinte

Alfa Romeo: Sigla GTA renasce das cinzas?

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.