EnsaiosNoticias

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo?

O Toyota C-HR é um SUV coupé com linhas arrojadas e desportivas que transpiram modernidade. O aspeto exterior agradável deixa-se complementar por motorizações híbridas full-hybrid, muito eficientes que tornam todo o conjunto bastante interessante apesar de ter “às costas” vários anos de mercado. Esta segunda fase está por todo o lado nas estradas portuguesas, o que nos leva a pensar que, de facto, este modelo continua a partir corações. Para quem gosta de versões ainda mais desportivas, a Toyota lançou esta versão GR Sport que ostenta detalhes dignos de um verdadeiro desportivo.

Na dianteira temos uma grelha generosa e escura com uma moldura preta brilhante em todo o seu redor. Os faróis de nevoeiro estão também envolvidos no preto brilhante que contrasta na perfeição com as cores mais claras. As óticas são escurecidas e as luzes de iluminação diurna surgem com um fundo claro que realça ainda mais a assinatura luminosa do modelo. O capô é mergulhante e vincado e não podia faltar o tejadilho de cor diferente que oferece um estilo mais dinâmico ao Toyota C-HR. As jantes de 19 polegadas são exclusivas deste modelo e condizem na perfeição com os restantes modelos da marca que ostentam o “orgulho GR”.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 13

A traseira do Toyota C-HR GR Sport mantém os atributos das versões “convencionais”, citamos: spoiler traseiro proeminente, óculo traseiro inclinado, assinatura luminosa LED inconfundível e vidros traseiros escurecidos. Nesta versão, ganhamos um badge “GR Sport” na tampa da bagageira e apontamentos preto brilhante nos refletores.

Por último, mas não menos importante, temos: chave mãos-livres, soleiras das portas GR Sport, reflexão do modelo no chão aquando abertura e fecho das portas e ainda óticas e farolins Full-LED.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 14

O acesso ao interior não é exemplar. As portas dianteiras e traseiras abrem quanto baste, mas o acesso aos lugares traseiros é fortemente prejudicado pelo design mergulhante do tejadilho que retira muito espaço de entrada para os ocupantes. Passar os pés entre a porta e o banco traseiro também não é um desafio fácil.

Uma vez sentados no interior, viajamos confortavelmente nos lugares dianteiros e num verdadeiro Bunker quando se trata dos lugares traseiros. A linha de cintura muito elevada retira visibilidade para o exterior, principalmente quanto estamos a falar das crianças. O espaço para a cabeça não é referencial mas também não é horrível. O espaço para as pernas deixa a desejar!

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 15

Quando queremos armazenar objetos temos: bolsas atrás dos bancos dianteiros para guardar revistas, bolsas algo estreitas nas portas dianteiras, um porta-copos entre os dois lugares dianteiros, porta-copos generosos nas portas traseiras, apoio de braço central com espaço adicional de armazenamento e um porta-luvas capaz de albergar manuais e pouco mais. A bagageira do Toyota C-HR satisfaz com os seus 358 Litros.

Apesar de ter já alguns anos de mercado, o Toyota C-HR parece ser como o vinho do Porto! O exterior mantém-se atraente e o interior mantém-se atual, devido a características algo invulgares que lhe oferecem uma personalidade muito própria. No forro do teto temos declives que parecem pétalas soltas, o tablier parece ter sido desenhado por camadas e ostenta diversos materiais como plásticos a imitar ligas metálicas, plásticos pretos brilhantes e o couro com um pesponto que oferece um requinte adicional ao interior. O tamanho do ecrã de multimédia mantém-se atual, uma vez que tem 8 polegadas, ou seja, está bem dentro da média do segmento.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 16

Alguns materiais são agradáveis como o couro nas portas e tablier. Não se ouvem ruídos parasitas. Já o isolamento acústico deixa a desejar, uma vez que a uma velocidade de 120km/h é preciso elevar um pouco tom de voz para falar com o passageiro do lado.

Nesta versão GR Sport o Toyota C-HR brinda os seus ocupantes com pesponto vermelho no volante e caixa de velocidades, volante com pele perfurada, bancos mais desportivos GR Sport com couro, tecido e pespontos com a cor da equipa de competição. O botão Start da ignição recebe o badge “GR”, assim como o painel de instrumentos recebe também uma animação de entrada exclusiva desta versão.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 17

Equipamento não falta ao Toyota C-HR GR Sport, que tem: ar-condicionado automático, travão elétrico de estacionamento com auto-hold, controlo por voz, regulador de velocidade adaptativo e limitador de velocidade, sensores de chuva e luminosidade, modo “EV”, sistema de som premium JBL e sistema de multimédia Toyota Touch2 com ligação Android Auto e Apple CarPlay.

É no sistema de multimédia que notamos “os anos a passar”. Este sistema está desatualizado, é algo lento, tem um grafismo algo antiquado e não tem um funcionamento propriamente intuitivo. Apesar disso, conta com Android Auto e Apple CarPlay, o que é uma grande mais-valia e permite ao utilizador ter sistemas de navegação sempre atualizados com o o Waze ou o Google Maps e ainda aceder a outras aplicações como o Spotify, por exemplo. Neste ecrã conseguimos ainda ter o histórico de consumos, fluxo de energia e estado de carga da bateria. Como o ecrã de 8 polegadas tem dimensões apropriadas e está bem colocado no topo da consola central, não nos obriga a desviar em excesso o olhar da estrada.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 18

O painel de instrumentos é maioritariamente analógico, mas é muito completo! À esquerda temos um mostrador de aceleração e regeneração, à esquerda o velocímetro, enquanto ao centro temos um painel de instrumentos que nos apresenta informações de viagens e consumos, diagrama de força “G”, informações dos sistemas de ajuda à condução e ainda o fluxo de energia e estado de carga da bateria de tração.

Sentados nos lugar do condutor temos uma boa pega do volante, comandos de um modo geral acessíveis e uma posição de condução confortável e fácil de regular. A visibilidade é que não é o forte do Toyota C-HR que tem pilares C muito largos e uma traseira muito alta que prejudica fortemente a visibilidade traseira. Felizmente, este modelo está equipado com câmara de ajuda ao estacionamento traseiro e alerta de tráfego cruzado em manobras de marcha-atrás.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 19

O comportamento dinâmico do Toyota C-HR é bastante competente. A direção é direta q.b, a configuração dos amortecedores é bastante firme e o chassi muito rígido, embora não seja um veículo desconfortável. O C-HR aborda as curvas com precisão, pouco adornar de carroçaria e reações sempre previsíveis, é um veículo bastante agradável e envolvente de conduzir, à excepção da caixa de velocidades que acaba por estragar todo o conjunto e proporcionar pouquíssimo feedback ao condutor.

A unidade ensaiada do Toyota C-HR tinha um conjunto motopropulsor bastante competente. Falamos da motorização híbrida full-hybrid gasolina e elétrica com uma potência combinada de 184cv e um binário de 190Nm para o motor a gasolina e 202Nm para o motor elétrico. Para além dos arranques e das recuperações entusiasmantes e enérgicas, esta motorização assume o compromisso com a poupança de combustível, uma vez que no nosso ensaio realizámos médias entre os 5,4 e 5,8 Litros a cada 100km e em percursos mistos. A aceleração dos 0 aos 100km/h ocorre em 8 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 180km/h.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 20

Fácil de conduzir, este conjunto é sempre uma boa aposta, em parte, devido ao seu funcionamento híbrido misto que faz com que a bateria de tração seja facilmente recarregada, seja por via da travagem regenerativa ou desaceleração, como também por via do motor térmico a funcionar como gerador de energia. A caixa de velocidades é incómoda quando queremos andar depressa, tornando-se ruidosa e proporcionando pouco feedback ao condutor, como mencionado anteriormente. Apesar disso, é devido a esta caixa de velocidades que o conforto está garantido numa condução mais calma é que não há solavancos ou “trocas de velocidade” desconfortáveis.

Falando em conforto, não há nada como conduzir com a máxima tranquilidade, por isso, o Toyota C-HR tem sistema de manutenção na via, regulador de velocidade adaptativo, máximos automáticos, ajuda ao arranque em subida, travagem ativa de emergência, entre outros.

TOYOTA C-HR 2.0 GR SPORT: Suficientemente desportivo? 13

Nos teste Euro NCAP em 2017 o Toyota C-HR obteve as 5 estrelas com 95% na proteção dos adultos, 77% na proteção das crianças, 76% na proteção dos peões e 78% nas ajudas à condução.

O Toyota C-HR GR Sport 2.0 Hybrid está disponível a partir dos 40.030,00€ e paga de IUC: 204,81€.

aqui o nosso ensaio ao Toyota GR Supra!

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Hyundai NEXO ultrapassa as 1.000 unidades vendidas na Europa

Artigo seguinte

CUPRA inicia uma nova era com a produção do seu primeiro carro 100% elétrico: o CUPRA Born

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.