NoticiasComunicados de Imprensa

O Mustang Mach-E É O Primeiro Ford A Melhorar A Precisão Da Autonomia De Condução Usando Cloud-Connectivity

O Mustang Mach-E ajuda a reduzir as paragens imprevistas para carregamento da bateria com o novo e inovador Intelligent Range, que prevê com maior precisão a autonomia actual com o comportamento de condução anterior, previsões de meteorologia e dados enviados por outros veículos conectados.

Com os próximos updtates over-the-air, serão também tidas em consideração as condições de tráfego em tempo real, o terreno e a elevação de uma determinada rota para obter previsões – dando a conhecer aos condutores se precisam de antecipar uma paragem.

No caso de um cliente ficar sem bateria o programa de assistência na estrada para veículos elétricos irá rebocar o veículo até casa, ao posto de carregamento mais próximo ou até ao concessionário Ford certificado.

A Ford sabe que o cálculo que os donos de veículos eléctricos costumam realizar para determinar quando e onde devem carregar a bateria ajuda a reforçar a confiança e a sentir maior tranquilidade. É por isso que o novo Mustang Mach-E vem equipado com uma característica que o ajuda a fornecer previsões mais precisas da autonomia restante, função que melhorará com o tempo.

A Intelligent Range do Mustang Mach-E pode calcular com precisão os quilómetros de autonomia restantes do SUV eléctrico, ajudando a reduzir a ansiedade que resulta da necessidade de saber onde e quando o cliente pode carregar a bateria.

“O cliente do veículo eléctrico precisa de ter confiança nas previsões de autonomia”, afirma Darren Palmer, director de baterias para veículos eléctricos, Ford global. “As pessoas querem ter confiança que vão chegar ao destino, seja numa viagem ou no regresso a casa após o trabalho. A nossa nova função Intelligent Range ajuda a assegurar que os proprietários do Mustang Mach-E de todo o mundo saibam em que situação se encontram, a qualquer momento, para que possam disfrutar da viagem”.

A Intelligent Range calculará a autonomia restante baseando-se no comportamento de condução anterior e nas previsões meteorológicas – recorrendo à Cloud para prever a energia necessária à condução futura. O sistema de bateria do veículo informa quanta energia tem disponível, enquanto o módulo do motor faz seguimento da energia que está a ser usada. Uma temperatura mais alta ou mais baixa terá impacto na autonomia total, pelo que Intelligent Range tomará, também, esse dado em consideração, actualizando a autonomia estimada ao longo do trajecto.

Os dados de outros veículos eléctricos Ford conectados, que permitam a partilha da sua informação em estrada, podem melhorar consideravelmente as previsões. O SUV 100% eléctrico pode avaliar quanta energia é usada sob diferentes circunstâncias incluindo a variação de velocidade, de terreno e das condições climáticas. Pode, assim, recorrer às médias do conjunto de todas as unidades do Mustang Mach-E para melhorar os cálculos de autonomia, incluindo para trajectos e condições que um cliente em particular nunca tenha usado antes.

Se a autonomia se vir afectada de maneira considerável, por qualquer número de factores no início da viagem, os clientes receberão um notificação destacando o novo cálculo de autonomia e os motivos da alteração.

No caso de que um Mustang Mach-E fique sem bateria, o programa de Assistência em Estrada para Veículos Eléctricos rebocará os clientes ao local de carregamento mais próximo, que pode ser uma localização da rede de carga FordPass, um concessionário Ford certificado para veículos eléctricos, a residência do cliente ou um ponto de carregamento público próximo.

A Ford actualizará a Intelligent Range através de updates over-the-air, criados para permitir prever com maior precisão, para um Mustang Mach-E conectado, mantendo-o na vanguarda da tecnologia. Uma actualização futura permitirá ao Mustang Mach-E aproveitar ainda mais as capacidades conectadas da Cloud, permitindo-lhe ter em conta as condições de tráfego em tempo real, os desníveis da estrada, o terreno e a elevação de uma determinada trajec tória e, ainda, a temperatura do destino final.

“As alterações do comportamento de condução e o meio ambiente podem repercutir-se na autonomia, razão pela qual outros veículos eléctricos costumam apresentar importantes ajustes na autonomia”, explica Mark Poll, Manager Experiência de Cliente no Carregamento de Veículos Eléctricos, Ford Motor Company. “A Ford está a aproveitar o poder da Cloud para realizar estimativas ainda mais precisas, reduzindo a necessidade de paragens inesperadas para carregamento, ajudando a reduzir o stress consequente nos clientes”.

O Mustang Mach-E 100% eléctrico, com uma autonomia de condução puramente eléctrica de até 600 km segundo o World Harmonised Light Vehicle Test Procedure (WLTP), encabeça a gama de veículos electrificados Ford em rápida expansão e é um dos 18 novos veículos electrificados que a empresa está a lançar na Europa até ao final de 2021.

*Autonomia prevista baseada em valores testados pelo fabricante e o cálculo segundo o ciclo de condução WLTP. Os valores de eficiência energética oficialmente homologados serão divulgados em data próxima à comercialização. A autonomia real do veículo varia em função das condições como os elementos externos, o comportamento de condução, o manuntenção do veículo e a idade bem como o estado de conservação da bateria de iões de lítio.

Os Consumos de Combustível, as Emissões de CO2 e as Autonomias Eléctricas declaradas são medidas de acordo com os requisitos técnicos e especificações da Regulamentação Europeia (CE) 715/2007, nas suas mais recentes redacções. O processo de aprovação dos Veículos Comerciais Ligeiros baseado no Procedimento Mundial Harmonizado de Teste de Veículos (WLTP) terá informações de consumo de combustível/energia e de emissões de CO2 para o Novo Ciclo de Condução Europeu (NEDC) e WLTP. O processo WLTP irá substituir o processo NEDC o mais tardar no final de 2020. O procedimento do teste padrão aplicado permite a comparação entre diferentes tipos de veículos e fabricantes. Durante o período de descontinuação do processo NEDC, os consumos de combustível e emissões de CO2 avaliados segundo o processo WLTP estão a ser correlacionados com o processo NEDC. Irá, assim, existir uma determinada variação comparativamente aos anteriores valores de consumos e emissões fruto da alteração de alguns elementos dos testes, pelo que a mesma viatura poderá ter diferentes valores de consumos e emissões de CO2.

Artigo anterior

Lotus Exige Sport 410 recebe versão comemorativa 20 anos!

Artigo seguinte

Novo SUV PEUGEOT e-2008 chega a Portugal

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.