EnsaiosNoticiasZoom Eco

Mitsubishi Outlander PHEV Instyle: Ecologia com 3 motores!

Alguma vez aconselharam um amigo ou familiar na compra de um automóvel? Por vezes o aconselhamento pode ser “delicado” e há sempre inúmeras pessoas que insistem em não optar pelas sugestões e conselhos dados pelos “entendidos”, ou por quem pediram sugestão ou conselhos. A razão? A compra de um automóvel tem uma componente emocional grande, que leva a que muitos automóveis menos “vistosos” percam, face a concorrentes que muitas das vezes têm menos qualidade, são mais caros, mas têm do seu lado a estética atraente. O Mitsubishi Outlander é uma boa sugestão de compra, que reúne não só uma série de benefícios fiscais, como também oferece ao proprietário, espaço para dar e vender, conforto, economia, ecologia e fiabilidade, mesmo que possa perder em “estética” face a alguns dos seus concorrentes.

O Mitsubishi Outlander PHEV não é o automóvel mais vistoso. Prefere a “descrição” e a adopção de um design que serve o condutor e a familia, focando-se na funcionalidade e versatilidade. Apesar disso, está mais elegante do que nunca, através de aplicações cromadas espalhadas por toda a carroçaria, que lhe oferecem um aspecto mais “requintado”.

Na dianteira temos protecções de carroçaria à cor da mesma, uma grelha preta brilhante com divisórias cinza escuro e ópticas de dimensões generosas que flanqueiam a grelha e oferecem uma entidade extra ao Mitsubishi Outlander PHEV. O capô é mergulhante e pouco vincado e o pára-brisas é inclinado, dando início ao tejadilho quase direito.

Nas laterais temos ilhargas e guarda-lamas tímidos, moldura cromada dos vidros, embelezador cromado na embaladeira e janelas laterais de grandes dimensões que oferecem maior luminosidade ao interior.

Na traseira temos um spoiler timido, óculo traseiro de dimensões generosas com pouca inclinação, tampa da bagageira direita, ópticas grandes que se estendem até às laterais e uma protecção plástica à cor da carroçaria que alberga um difusor pouco expressivo.

Ainda no exterior do Mitsubishi Outlander PHEV temos antena Shark, vidros traseiros escurecidos, ópticas e farolins LED, barras de tejadilho cromadas, chave mãos-livres, portão traseiro automático, jantes de 18 polegadas envolvidas em pneus 225/55, faróis de nevoeiro, entre outros. Ainda na carroçaria temos várias referências a esta versão ecológica com 3 motores.

O acesso ao interior é facilitado pelas portas com abertura generosa, tanto nos lugares dianteiros, como no acesso aos lugares traseiros. Uma vez a bordo, viajamos totalmente à vontade na segunda fila de assentos traseiros, mesmo os passageiros de maior estatura, que têm espaço q.b para ombros, cabeça e pernas. Onde viajamos mais apertados é na terceira fila de assentos, como seria de esperar. Os assentos proporcionam conforto, não são excessivamente rijos, mas podiam oferecer maior apoio lateral. A bagageira tem 463 Litros de capacidade, que se estendem aos 1602 Litros.

O design interior deixa a desejar, mostrando-se ainda conservador e antiquado face à concorrência. Contudo, quem pode prestar atenção em excesso ao design, quando a qualidade de construção está presente em todo o habitáculo? Este modelo não tinha quaisquer ruídos parasitas, apesar da presença de alguns plásticos de qualidade mais fraca. O tablier é emborrachado e em peça única, o que contribui para a redução de ruídos, o volante é em couro, adornado com pespontos. Destacam-se as aplicações em imitação de carbono, que decoram parte do tablier, portas e túnel central.

Na lista de equipamento temos ar-condicionado automático de dupla-zona, portão traseiro automático, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, regulação eléctrica do assento do condutor, volante multi-funções, retrovisores com regulação e recolha eléctrica, cruise control e limitador de velocidade adaptativo, patilhas atrás do volante para regulação da regeneração, botão start de ignição, isofix, apoio de braço nos lugares traseiros, assentos dianteiros aquecidos, volante aquecido, travão de estacionamento electrico, chave mãos-livres, pára-brisas aquecido e sistema de multimédia em ecrã de 7 polegadas e computador de bordo em ecrã TFT de 5 polegadas.

O sistema de multimédia do Mitsubishi Outlander Intens não trazia navegação, algo que conseguimos ultrapassar com o Apple CarPlay ou Android Auto. Contudo, este sistema apresenta uma imagem que deixa um pouco a desejar e também não é o mais evoluído do mundo. A grande mais-valia é a apresentação de gráficos e animações relacionados com o sistema híbrido plug-in. Estas indicam o histórico dos consumos, tempo no modo totalmente eléctrico, carga da bateria e aproveitamento de energia. Através de um gráfico que nos apresenta o ciclo de energia, da bateria para o motor e do motor para as rodas, conseguimos facilmente adequar a nossa condução, em prol dos consumos, percebendo facilmente quando estamos a regenerar ou quando estamos a consumir energia.

No computador de bordo temos as informações de viagem e consumos, informações relativas aos sistemas de segurança, gráfico de energia, modos de condução, histórico de consumo, carga da bateria e autonomias, entre outros. Este computador de bordo volta a ser penalizado pela fraca qualidade dos gráficos e pela falta de funcionalidade na utilização, que é feita através de um botão inserido no tablier à esquerda do volante.

A posição de condução é muito alta, mas é confortável, oferece boa visibilidade para todos os ângulos do veículo, como consequência temos uma condução mais pratica e despreocupada. Já a colocação dos comandos requer alguma habituação, uma vez que alguns botões estão colocados fora do olhar do condutor e em posições mais baixas que nos obrigam a tirar o olhar da estrada. A pega do volante é ergonómica e a utilização do punho da caixa de velocidades é também intuitiva e agradável.

No que toca ao comportamento dinâmico, o Mitsubishi Outlander PHEV não é um automóvel de corridas, ainda para mais com a sua suspensão condescendente que faz com que o adornar da carroçaria seja notável. Apesar disso as reacções numa condução mais empenhada são previsíveis e a facilidade na condução é uma constante, apesar do tamanho e do peso do Mitsubishi Outlander PHEV. Em parte, este comportamento previsível deve.-se ao S-AWC, um sistema exclusivo da Mitsubishi, que combina o controlo activo de Guinada com o controlo de estabilidade e o ABS, para proporcionar mais estabilidade, conforto e segurança na condução. O primeiro destes sistemas melhora o desempenho em curva ao distribuir as forças de tracção e de travagem da forma ideal entre as rodas esquerdas e direitas.

No que toca à motorização, temos não dois, mas três motores. O motor a gasolina é um 2.4 Litros de 4 cilindros com 135cv, associado a dois motores eléctricos que debitam mais 82cv e 95cv. Enquanto um destes motores eléctricos se apodera do eixo traseiro, o motor a gasolina junta-se ao outro propulsor eléctrico, em conjunto, fazem com que o eixo dianteiro se mova. Se somarmos a potência de todos os motores, rapidamente ficaríamos a pensar que se tratava de um modelos com mais de 300cv. Contudo, a potência combinada é de 230cv, devido ao facto dos motores híbridos não trabalharem no auge da sua potência. A potência de um automóvel híbrido é uma estimativa realizada com base na eficiência máxima dos 3 motores em conjunto, o binário é de 137Nm mais 195Nm.

As prestações convencem, basta esmagarmos o pedal do lado direito com a bateria totalmente carregada e no modo “Sport” que o Mitsubishi Outlander PHEV faz questão de nos encostar ao assento. A barreira dos 100km/h é ultrapassada em 10,5 segundos e a velocidade máxima é de 170km/h. A caixa automática CVT privilegia a facilidade na condução, mas como é já habitual neste tipo de caixa de velocidades, torna-se demasiado ruidosa.

No que toca aos consumos, conseguimos no nosso ensaio uma média de 4,8 Litros a cada 100km, com trajectos e conduções variadas e em vários modos de condução e sistema híbrido plug-in. Não podíamos deixar de frisar que é possível percorrer cerca de 45km no modo totalmente eléctrico e com velocidades até aos 135km/h. O tempo de carregamento varia entre 5 horas com 2.3 kWh numa tomada doméstica 230v ou conseguimos carregar 80% em 25 minutos com carga contínua, com um carregador CHAdeMO. É ainda possível utilizar o A/C durante o carregamento, ter o sistema de navegação e multimédia activo, ou ainda programar a carga.

Durante a condução, é possível adoptar vários modos do sistema híbrido que irão alterar o comportamento do motor. No modo “Save”, há pouca utilização dos motores eléctricos, para que consigamos poupar energia. Já no modo Charge, vamos utilizar o motor térmico para ajudar a carregar a bateria de 13,8 kWh. Uma grande mais-valia, são as patilhas atrás do volante que nos permitem regular a quantidade de regeneração. Numa descida podemos até não regenerar, para não perder velocidade, ou podemos regenerar muito para acumular alguma energia, são 5 níveis de regeneração que podem ser regulados nas patilhas durante a circulação e em qualquer altura.

Para facilitar o proprietário, há ainda uma aplicação que permite programar a carga, ou activar o aquecedor eléctrico à distância.

Para além do comportamento do sistema híbrido plug-in podemos alterar a resposta do acelerador ao optarmos pelo modo Eco, Normal ou Sport. Este último interfere com a direcção, tornando-a mais comunicativa. Cada um destes modos vai privilegiar mais a performance ou os consumos, falando no modo Sport ou Eco respectivamente. Para além destes modos mais tradicionais, o Mitsubishi Outlander PHEV adiciona o modo Snow, que prevê um arranque mais fácil em pisos escorregadios como gelo ou neve. O modo Lock fornece maior tracção também em pisos escorregadios como lama, para evitar que o Mitsubishi Outlander fique “atascado”.

Os sistemas mencionados anteriormente ajudam à segurança, mas o Mitsubishi Outlander não se fica por aqui, uma vez que ainda nos brinda com travagem de emergência activa, cruise-control adaptativo, alerta de transposição involuntária de faixa, luzes de estrada automáticas, alerta de ângulo morto, alerta de tráfego cruzado em manobra de marcha-atrás, entre outros.

O Mitsubishi Outlander PHEV está disponível a partir dos 39,348,00€ (P.V.P) para a versão Intense. Já a versão ensaiada InStyle com pintura metalizada tem o (P.V.P) de 44.785,00€. Classe 1 nas portagens. Paga de IUC: 204,21€. A bateria têm uma garantia de 8 anos ou 160.000km.

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Honda percorreu a segunda etapa da Estrada Nacional 2

Artigo seguinte

Re-Style reafirma Hyundai como a marca ecológica para os Millennials

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.