Artigos

Diogo Faria: O miúdo de 13 anos que pretende conquistar o troféu Rotax e chegar à Formula 1!

Na primeira corrida da Taça Euroindy, travámos conhecimento com o Diogo Faria, um rapaz de apenas 13 anos que corre nos karts e que pretende um dia representar Portugal nas finais mundiais Rotax e quem sabe chegar à Formula 1 ou ao DTM! Esta é a entrevista a este jovem piloto da escola do Kartódromo da Batalha (Euroindy).

1. Quando começaste a andar de Kart?
Em 2015. A minha mãe já tinha falado ao meu pai para me levar aos karts e então nas férias do verão fomos pela 1ª vez.

2. O desporto automóvel sempre foi uma paixão para ti?
Sempre gostei de automóveis e velocidade, mas até andar de kart pela primeira vez no kartódromo da batalha a minha paixão era o futebol. A partir desse dia soube que o que eu queria realmente era velocidade e a adrenalina de estar sentado muito perto do chão a alta velocidade.

3. Quem te colocou o amor a esta modalidade?
Principalmente foram os meus pais porque me levaram a andar de kart pela primeira vez. Foi uma espécie de amor à primeira vista.

4. Qual foi a primeira prova em que participaste e com que idade?
As minhas primeiras provas foram em 2016 quando tinha 12 anos enquanto frequentava a escola de karting Euroindy. Costumavam organizar uns convívios / taças com alguma regularidade. A minha primeira prova amadora com um kart a 2 tempos foi em Agosto de 2017.

5. Tens alguma situação ou corrida que te tenha marcado mais?
Tenho. Foi quando ganhei a formação de karting ACP em 2017, tive uma prova dura onde estava nos lugares cimeiros mas um toque colocou-me em ante-penúltimo mas não baixei a cabeça e a cinco voltas do fim já me encontrava no terceiro lugar e a lutar pelo primeiro. O melhor foi no fim o abraço que o meu pai me deu.

FORMAÇÃO ACP KARTING 2017 Photo Paulo Maria / ACP

6. Qual é o teu maior apoio nesta modalidade? Pais? Amigos?
O maior apoio são os meus pais, pois são eles que me ajudam mais quando estou em baixo. Claro que os meus patrocinadores também têm um papel bastante importante no meu caminho. Sem a ajuda deles ficaria ainda mais difícil conseguir lutar por este sonho.

7. Tens algum “ídolo” ou piloto como ponto de referência neste desporto? Quem e porquê?
O meu “ídolo” no desporto automóvel é o Lewis Hamilton. Neste desporto do karting, não um ídolo mas um piloto que gosto e admiro muito, é o Guilherme Oliveira, talvez por ser da minha idade e contar já com um palmarés digno de registo. Admiro muito a sua postura e humildade neste desporto, principalmente por ter já um historial de bons resultados a nível nacional e internacional. Tenho ainda um gosto e admiração especial pelo meu colega de equipa e de treinos, o João Oliveira que no ano passado esteve a representar Portugal Nas finais mundiais Rotax.

8. Como é que os pilotos mais velhos olham para ti quando ficas à frente deles? Ficam chateados?
Que eu tenha reparado nunca ficaram “muito chateados” ( talvez um pouquinho a olhar para o puto) mas sabe sempre bem. Normalmente costumam incentivar-me e dar mais força para continuar.

9. Qual serão as tuas apostas para o próximo ano em termos de troféus e campeonatos?
A minha aposta para o próximo ano é disputar o Trofeu Rotax Max Challenge Portugal. O sonho é representar Portugal nas finais mundiais Rotax. Tudo vai depender dos apoios que conseguirmos angariar.

10. Qual seria o próximo passo a seguir aos Karts?
O próximo passo seria passar para os monolugares, principalmente fórmula 4 ou Euro Formula. No entanto, também penso que se tiver 4 rodas um volante e um motor, já será fantástico.

11. Qual é para ti a maior dificuldade neste desporto?
A maior dificuldade é conhecer as pistas e ter uma boa “forma psicológica” para o caso de alguma coisa correr mal não se desistir logo. É mais ou menos como acompanhar a matéria da escola, não é fácil, mas tem de se fazer um esforço. Se perguntarem aos meus pais, e eu também sei que é verdade, a maior dificuldade é conseguir apoios financeiros por parte dos patrocinadores, para conseguir fazer face às despesas que mesmo a nível nacional são bastante elevadas.

12. Onde gostarias de chegar no desporto automóvel?
Gostaria de chegar à fórmula 1 ou ao DTM. No entanto, qualquer outra categoria que me permita viver a conduzir um carro de corrida, é o realizar de um sonho.

Para além de perseguir o seu sonho o Diogo Faria, é um bom aluno e conta já com vários apoios como: Intermarché da Marinha Grande, Telepizza da Marinha Grande, PLIMAT – Plásticos Industriais Matos, S.A, EAP, Mobiliário de Escritório e Equipamentos Industriais, lda, Físico Loucura – Práticas Desportivas, Lda, Lustrarte Lighting, Fonseca ´s Auto – Carlos Fonseca, Pedro e Ana, Lda.

Artigo anterior

A velocidade máxima do novo Ford Fiesta ST é surpreendente! (Vídeo)

Artigo seguinte

Nissan Qashqai recebe actualizações e motor 1.5 dCi mais potente!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.