EnsaiosNoticias

Toyota RAV4 2.5 Hybrid Lounge: O descanso de ter um híbrido!

O Toyota RAV 4 é sempre uma aposta válida, em qualquer que seja a sua geração. Contudo, a nova geração do Toyota RAV4 traz consigo um aspecto mais dinâmico e atraente, novidades tecnológicas e espaço para dar e vender!

Face às anteriores gerações, o Novo Toyota RAV4 está muito mais atraente, tem um aspecto “robótico” e algo futurista, sem se deixar de adaptar a todos os gostos. Está realmente imponente e bonito, fazendo com que o design passe a assumir um papel importante na altura da escolha de um automóvel.

A dianteira é alta e direita, predominada pelas grelhas dianteiras de dimensões generosas que oferecem um aspecto “chateado” ao Toyota RAV4. A grelha inferior é envolvida numa moldura preta brilhante que nasce das cavas das rodas, esta deixa-se sublinhar por uma protecção metálica também ela generosa. Nas laterais do para-choques sobressaem os faróis de nevoeiro, embutidos numa moldura escura que oferece mais um ponto de contraste, quando adoptamos uma cor mais clara para a carroçaria. As ópticas acompanham o design desportivo e “zangado” da dianteira, acompanhando a parte superior da grelha, rasgando a chapa até ao capô e guarda-lamas.

Nas laterais observamos uma silhueta com traços direitos, um capô direito e um tejadilho pouco ou nada inclinado. A linha de cintura elevada é também ela rectilinea, sobressai o contraste “bi-tom” e as protecções plásticas com acentuado requinte preto brilhante, que surge por cima das rodas e embaladeira. As barras de tejadilho também são acabadas a preto brilhante, afim de dar continuidade à sofisticação presente em todo o exterior.

O estilo robótico e futurista mantém-se na traseira, onde temos um spoiler de tamanho generoso, ópticas transparentes, rasgadas e finas, um pára-choques preto brilhante com protecção metálica e duas saídas de escape que acentuam o aspecto dinâmico.

Ainda no exterior temos ópticas e farolins LED, vidros traseiros escurecidos, portão traseiro automático, chave mãos-livres, pintura bi-tom, barras de tejadilho longitudinais, jantes pretas de 17 polegadas, entre outros.

Se no exterior temos um automóvel agradável e bonito, o interior não fica atrás. O Toyota RAV4 preserva o aspecto agradável através de um tablier direito com duas camadas e notas de requinte como o pesponto azul ou o friso metálico. A consola central é liderada por um ecrã touch de tamanho generoso, enquanto o painel de instrumentos é coberto por uma moldura que recupera o aspecto “robótico” do exterior. A consola central é vincada por um friso metálico em “V” que nos transporta para os comandos rotativos da climatização.

A qualidade dos materiais no interior satisfaz, uma vez que temos material emborrachado e em couro acima do nível da cintura, como tablier e portas. A qualidade da construção também é boa, uma vez que temos folgas justas e materiais rijos com materiais emborrachados, para ausência de ruído. No que toca ao ruído, a insonorização também se encontra ao nível do segmento.

O acesso ao interior é fácil tanto à fila de assentos dianteiros como à fila de assentos traseiros, quer sejamos baixos ou mais altos, conseguimos entrar e sair do Toyota RAV4 sem grades dificuldades. Uma vez sentados temos espaço para pernas, ombros e cabeça, assim como espaço de arrumação, através de bolsas de portas generosas, guarda-luvas ou mesmo o apoio de braço central dianteiro. A bagageira também não é “tímida”, uma vez que tem 580 Litros.

Ainda sentados temos um bom apoio de pernas, um apoio lateral razoável nos lugares traseiros e um apoio lateral de excelência nos lugares dianteiros. Os assentos proporcionam conforto a bordo e são envolventes.

Na lista de equipamento desta versão Square Collection, o Toyota RAV4 oferece climatização automática de dupla-zona com saídas para os lugares traseiros, botão start da ignição, retrovisores com recolha eléctrica, retrovisor interior com modo “digital”, sistema de som premium JBL, tejadilho de abrir panorâmico, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, controlo por voz, volante multi-funções, modos de condução, assento do condutor com regulação eléctrica, sensores de chuva e luminosidade, limitador e regulador de velocidade adaptativo, modo de todo-o-terreno, travão eléctrico de estacionamento com Auto-Hold, modo EV, painel de instrumentos com ecrã TFT de 7 polegadas e sistema de navegação e multimédia com 8 polegadas, assentos dianteiros aquecidos, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia da Toyota não parece ter grandes falhas ou erros. Contudo, a imagem está longe de ser a melhor, assim como a interface esta longe de ser a mais intuitiva. A estes factores juntamos o facto de ser um sistema algo lento e sem preparação para Android Auto ou Apple CarPlay. O ponto positivo é sem dúvida as aplicações relacionadas com o sistema híbrido, que nos permitem ter maior sensibilidade à condução de um automóvel cuja mudança de mentalidade para uma condução ecológica se irá manifestar nos consumos e consequentemente na poupança de alguns Euros.

No painel de instrumentos temos muita informação, que aparece com boa definição e é de fácil percepção. Voltam a estar presentes os gráficos relativos à condução e ao fluxo de energia. Mas não é tudo, uma vez que consoante o modo de condução o painel de instrumentos apresenta outra cores, ou um grafismo diferente, quando optamos pelo modo “Trail”. As informações relativas a viagem, estado do automóvel, consumos, entre outras, têm também lugar neste painel de instrumentos completíssimo.

A posição de condução é alta e agradável, uma vez que conseguimos chegar a todos os comandos sem grandes ginástica, temos boa visibilidade, quer na estrada, quer na altura de estacionar, como também temos uns assentos envolventes e comandos intuitivos no que toca a iluminação, climatização, entre outros.

No que toca ao comportamento dinâmico, as prestações no teste do alce não foram exactamente convincentes, algo que não notamos durante uma condução tranquila, mas que sentimos quando queremos abordar uma curva de forma mais “empenhada”. Nesta altura, o Toyota RAV4 tem algumas reacções algo menos previsíveis. Contudo, a direcção está muito mais comunicativa, o conforto a bordo é uma constante e a condução é prazerosa.

Um dos elementos mais surpreendentes do Toyota RAV4 é sem dúvida o motor, que nos surpreende pela positiva, tanto no aspecto das prestações, como no aspecto da economia de combustível. As prestações convencem, percebemo-lo quando estamos no modo “Eco” a 120km/h, aceleramos e o Toyota RAV 4 ainda é capaz de nos encostar ao assento. A grande responsável é a motorização 2.5 hybrid, que reúne um motor a gasolina 2.5 Litros de 4 cilindros com 177cv de potência e 221Nm de binário a um motor eléctrico. Em conjunto debitam 218cv de potência e proporcionam ao Toyota RAV4 uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 8,4 segundos. A velocidade máxima é de 180km/h.

A potência é enviada para as rodas através de uma caixa automática de variação continua, com 6 “relações”. Esta caixa de velocidades é prática, uma vez que não é difícil de utilizar e é também suave, uma vez que não há trocas de mudança. Contudo, acaba por diminuir o feedback do comportamento do RAV4 e também se torna algo ruidosa em acelerações mais acentuadas. As 6 relações estão lá para aumentar o prazer do condutor, mas não têm qualquer intervenção no comportamento do RAV4, tanto que é possível arrancar de um semáforo no mono manual em 6ª velocidade.

O que torna o Toyota RAV4 uma opção tão excelente? O facto de aliar o espaço, conforto, segurança, ecologia, performance e consumos de combustível verdadeiramente simpáticos. No nosso ensaio, conseguimos realizar uma média de consumo na ordem dos 5,5 Litros a cada 100km. Convém lembrarmo-nos que o Toyota RAV4 não é o automóvel mais aerodinâmico e leve, falamos de um SUV, com uma carroçaria mais pesada e 218cv a gasolina, a gastar menos de que algumas berlinas de segmento “C” a diesel. Bravo Toyota!

Os modos vêm tornar a condução do Toyota RAV4 mais personalizável. O modo “Eco” vai reduzir a resposta do acelerador e a performance da climatização para nos ajudar a poupar combustível. O modo “normal” deixa-nos utilizar o Toyota RAV4 sem limitações e é um bom modo para uma condução despreocupada. O modo desportivo torna o Toyota RAV4 mais “desperto” e sem olhar a consumos, quando aceleramos ele está lá, pronto para “dar tudo”.

O modo “Trail” ajuda quando saímos de estrada, uma vez que adequa as ajudas electrónicas a uma condução em que irão ocorrer perdas de aderência. Com este modo, mesmo nos locais mais enlameados ou em terra, o Toyota RAV4 faz questão de “andar para a frente”. Como? Quando perdemos aderência numa roda, o Toyota RAV4 transfere potência para a roda contrária, de forma a que uma roda continue a tentar mover o Toyota RAV4, enquanto outra roda tenta recuperar alguma aderência.

Na segurança o Toyota RAV4 tem uma série de equipamentos que o afirmam como um automóvel seguro: travagem activa de emergência com reconhecimento de peões e ciclistas, aviso de transposição involuntária de faixa com correcção de volante, reconhecimento de sinais de trânsito, luzes de estrada automáticas, cruise-control adaptativo com função “full-stop”, aviso de ângulo morto, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, entre outros.

Nos testes Euro NCAP o Toyota RAV4 obteve as 5 estrelas com 93% na segurança dos adultos, 87% na segurança das crianças, 85% na segurança dos peões e 77% nas ajudas à condução.

O Toyota RAV4 está disponível por 42.085,00€ para a versão Comfort com a motorização Hybrid 2.5. A versão ensaiada Lounge está disponível por 51.545,00€. Paga de IUC: 204,21€. O Toyota RAV4 Hybrid é Classe 1 nas portagens com identificador Via Verde.

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Novo Mercedes-AMG GLA 35 4MATIC

Artigo seguinte

O novo Volkswagen Golf: inteligente, digital e eletrificado

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.