ArtigosEnsaios

Jeep Grand Cherokee Limited: Exuberância Americana!

O Jeep Grand Cherokee decidiu alegrar um dos nossos fins-de-semana. Quem não fica contente por estar ao volante de um automóvel grande, imponente, potente, confortável e com uma exuberância invulgar? Temos a certeza que ninguém fica indiferente a este automóvel, até porque se vêem poucos na estrada, mas os que se vêem fazem questão de virar cabeças.

O design do Jeep Cherokee é há muito tempo detentor da mesma silhueta, contudo, foi sofrendo alterações e sendo actualizado ao longo de todos estes anos. Se procuramos um SUV confortável, com óptimas capacidades de todo-o-terreno, um motor possante e um design agradável à vista, somos obrigados a ter o Jeep Grand Cherokee como uma das nossas opções.

No exterior, contamos com uma carroçaria musculada, capô longo, portas altas, pára-choques longos e salientes na dianteira e na traseira e ainda rodas grandes envolvidas em pneus que nos oferecem o melhor compromisso entre a utilização em estrada e o todo-o-terreno. Por aqui percebemos que o Jeep Grand Cherokee, não é apenas um SUV daqueles que parecem bem e estão equipados com “pneus de estrada”, prontos para subir uns “passeiozecos”, o Jeep Grand Cherokee é um SUV com características vincadas de um todo-o-terreno, que não abandona o estilo, o conforto e o requinte.

Ainda no exterior temos uma grelha que é já imagem de marca da Jeep, ópticas dianteiras com luzes de iluminação diurna LED e faróis de Xénon, faróis de nevoeiro LED embutidos numa moldura cromada, farolins LED, temos protecções plásticas por toda a carroçaria, jantes de 18 polegadas com dois tons envolvidas em pneus 265/60R18, moldura cromada em torno dos vidros laterais, barras de tejadilho em alumínio, puxadores das portas cromados, spoiler traseiro, duas saídas de escape, protecção de bagageira cromada, antena Shark e vidros traseiros escurecidos. Nas portas dianteiras mantém-se o tradicional badge “Grand Cherokee” que acompanha o modelo há várias gerações.

No interior, temos uma conjugação bastante premium e requintada de materais e cores, onde a boa qualidade de construção e os bons materais abundam. É fácil sentirmo-nos bem no interior do Jeep Grand Cherokee, ou não estaríamos a falar de um automóvel que sempre foi conhecido como um todo-o-terreno de luxo. Os assentos acomondam-nos na perfeição oferecendo um conforto digno de registo, independentemente da nossa estatura, o espaço a bordo é mais do que muito e na bagageira temos 782 Litros de capacidade que se estendem aos 1554 Litros através do rebatimento dos assentos traseiros.

Equipamento nesta versão LIMITED, temos pele clara, aplicações em madeira e alumínio, numa conjugação perfeita que não cansa a vista e que se manterá agradável ao longo dos anos. No equipamento temos chave mãos-livres, assento do condutor e passageiro com regulação eléctrica e memória, bancos aquecidos, saídas da climatização para os lugares traseiros, duas portas USB nos lugares traseiros, câmara de ajuda ao estacionamento, espelho interior com escurecimento automático, volante aquecido, cruise-control, botão start da ignição, patilhas da caixa velocidades no volante (demasiado pequenas), um sistema de som premium com 9 altifalantes + subwoofer (506Watts), Sistema multimédia Uconnect Rádio 8,4″ NAV (MP3, AUX, USB, Bluetooth) (Opcional 1100€), tejadilho panorâmico de dimensões generosas (1800€), entre outros.

O sistema de navegação e multimédia da Jeep tem boa imagem, as informações são dadas de uma forma clara e contamos com várias aplicações numa loja online. Uma destas aplicações está relacionada com o consumo de combustivel e vai atribuindo uma classificação à nossa condução económica, para além das aplicações Facebook, Twitter, Noticias da Agência Reuters, Tunein e Deezer. A isto acrescentamos o Android Auto e o Apple CarPlay. Ainda temos acesso a páginas relacionadas com o todo-o-terreno, indicadores de inclinação, indicador da tracção integral, temperaturas de água e óleo, voltagem da bateria, entre outros. O painel de instrumentos é também completissimo, embora algo antiquado relativamente a alguns modelos do segmento, ainda assim apresenta as informações de viagem e consumos de forma clara, informações relativas à pressão dos pneus e informações de segurança e estado do automóvel, assim como Multimédia, Telefone, entre outros.

No lugar do condutor, tudo faz ainda mais sentido, percebemos que todos os comandos são intuitivos, apesar dos botões excessivos na consola central. O volante tem uma boa pega, a posição de condução é agradável, os assentos são mais do que confortáveis e todo o ambiente interior está “afinado” para viagens confortáveis e de qualidade, principalmente se dermos uso ao bom sistema de som, com aquele estilo de música que mais gostamos. As patilhas da caixa no volante são excessivamente pequenas, mas nada que nos incomode em excesso… Mariquices!

O comportamento do Jeep Grand Cherokee não nos surpreendeu, até porque, já estávamos a contar que fosse digno de registo e é! O Jeep Grand Cherokee não se deixa intimidar pelo seu próprio tamanho e pelos 2447kg de peso, tem um comportamento dinâmico quanto baste, uma direcção precisa e suspensões afinadas em prol do conforto que não deixam a carroçaria adornar demasiado. Relembramos que o chassi é o mesmo que serve para o Jeep Grand Cherokee Trackhawk que é actualmente um dos SUV mais rápidos do mundo, contando com uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 3,7 segundos. Debaixo do capô dessa versão mais espigada, está um motor Hemi 6.2 Litros V8 que não debita mais do que 707cv de potência e 875Nm de binário. Essa é a maior prova de que o chassi do Jeep Grand Cherokee é mais do que competente, ter um SUV com 700cv e uma velocidade máxima de 290km/h não é para todos!

Já a versão que ensaiámos era bem mais comedida, mas não por isso menos interessante. Debaixo do capô estava um motor 3.0 Litros de 6 cilindros diesel com 250cv de potência e 570Nm de binário que eram enviados para as 4 rodas através de uma caixa automática com 8 velocidades. O que significa que em termos de performance temos uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 8,2 segundos antes de chegar aos 202km/h. No que toca a consumos, conseguimos médias 8,8 Litros a cada 100km, com consumos mistos com e sem trânsito.

Para o todo-o-terreno a nossa vida fica facilitada devido ao sistema select terrain que disponibiliza vários modos de condução que adaptam o comportamento do Jeep Grand Cherokee ao tipo de terreno em que nos encontramos, temos por isso os modos: MUD, Rock, Sand e Snow, o modo automático gere a tracção de forma autónoma consoante as “perdas”. O sistema hill descent control ajuda-nos nas descidas mais íngremes em que nos preocupamos apenas em manter a direcção do Grand Cherokee, enquanto o sistema faz com que o automóvel consiga descer a uma velocidade extremamente baixa e controlável. A tracção integral em baixas, ajuda-nos a ultrapassar os obstáculos mais exigentes.

Para além dos modos de condução relacionados com o todo-o-terreno temos ainda o modo “eco” e o modo “Sport”, que como os próprios nomes indicam, estes modos ajudam-nos a conseguir consumos mais simpáticos ou andamentos mais vivos, através da alteração da resposta do acelerador.

Na segurança, o Jeep Grand Cherokee, pode ter aviso de ângulo morto como opção (650€), mas temos aviso de transposição involuntária de faixa, temos máximos automáticos e ainda sistema de monitorização da pressão dos pneus. Nos teste Euro NCAP, o Jeep Grand Cherokee obteve 4 estrelas em 2011, onde teve classificações de 81% na segurança dos adultos, 69% na segurança das crianças, 45% na protecção de peões e 71% nas ajudas à condução.

Conseguimos adquirir um Jeep Grand Cherokee na versão LIMITED por 91.800€, sem extras. Já a versão ensaiada LIMITED com tejadilho panorâmico, pintura metalizada e sistema de navegação e multimédia UConect 8,4 fica por 95.850,00€. Este automóvel com o motor 3.0 Litros diesel de 6 cilindros emite 184g/km de CO2 e paga de IUC: 766,83€.

Artigo anterior

Adamastor é o automóvel Português que já está a causar boa impressão em todo o mundo! (Vídeo)

Artigo seguinte

Galeria Mafraclássicos pela lente do Fábio Castro!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *