EnsaiosNoticias

HONDA CR-V Hybrid: Alternativa para o agora?

Numa fase em que o mercado está em transição, são poucos os que sabem que tipo de automóvel devem adquirir. Há quem ache que os automóveis térmicos continuam a ser a alternativa mais viável, há quem ache que o futuro é eléctrico e há quem queira uma alternativa diferente, que preencha a evolução aliada à razão. O novo Honda CR-V Hybrid é o automóvel que entra “no amanhã” a preencher as necessidades dos clientes de hoje, adequando-se na perfeição à actualidade.

Todas as soluções parecem ter os seus “inconvenientes”, a rede pública de carregamento para os automóveis eléctricos está “uma desgraça”, há quem faça demasiados quilómetros diários para adquirir um automóvel eléctrico e ainda há quem ache o valor destes demasiado elevado. Já os automóveis a gasolina e diesel são cada vez mais penalizados com os impostos, quer na altura da compra, quer na altura do abastecimento, continuando também a ser os mais poluentes durante a utilização.

Apesar de não haver benefícios ficais para os automóveis híbridos (Não Plug-In), esta solução, é para muitos clientes a mais viável, uma vez que os híbridos são automóveis menos poluentes que os automóveis diesel ou gasolina, sendo também mais económicos do ponto de vista do consumo de combustível. Uma das mais-valias é não sermos obrigados a circular com carregadores ou preocupados com a autonomia.

O Honda CR-V Hybrid é um automóvel competente, que apesar das suas dimensões respeitáveis, mantém-se económico e polivalente. Face ao seu antecessor adopta um design mais moderno e atractivo.

As dimensões do Honda CR-V levam-no a ser um dos maiores SUV do seu segmento e como já foi referido, o design sofreu uma grande melhoria. Há uma maior atenção ao detalhe, a Honda torna este modelo mais requintado, através de maiores aplicações cromadas, protecções de carroçaria mais evidentes e linhas mais limpas e fluídas.

Na dianteira temos um capô mergulhante, grelhas tímidas, ópticas rasgadas com dimensões generosas, aplicações cromadas e guarda-lamas pouco salientes. Nas laterais, observamos o pára-brisas inclinado, o tejadilho direito e a linha de cintura elevada, que deixa espaço para os vidros laterais, que acabam por fornecer mais claridade ao interior. Ainda nas laterais, há protecções de carroçaria generosas na embaladeira, que são “embelezadas” pelo cromado, que se apodera também da moldura dos vidros laterais. Na traseira temos uma tampa de bagageira direita, com linha de cintura cromada, um spoiler generoso, farolins cujo design se estende até à ilharga, acompanhando o pilar “C” e pára-choques em plástico com protecção em alumínio.

No equipamento exterior temos chave mãos-livres, ópticas e farolins LED, faróis de nevoeiro, barras de tejadilho longitudinais, jantes de 18 polegadas 235/60 R18, vidros traseiros escurecidos, entre outros.

O acesso ao interior é dos melhores do segmento, a abertura das portas traseiras faz quase um ângulo de 90º graus, que facilita o acesso dos passageiros. O plano de carga da bagageira é algo baixo e plano, o que também facilita a carga de objectos pesados.

O espaço é a palavra de ordem no interior do Honda CR-V, por maior estatura que os passageiros tenham, é possível viajar “à larga” nos lugares dianteiros e traseiros, com espaço que sobra para os ombros, pernas e cabeça. No que toca ao conforto fornecido pelos assentos, estes facultam bom apoio para pernas e pouco apoio lateral nos lugares traseiros, um apoio que surge q.b nos lugares dianteiros. A bagageira também é generosa com 497 Litros, que se estendem aos 1697 Litros com o rebatimento dos assentos traseiros.

A qualidade dos materiais é agradável na dianteira, com um tablier emborrachado e com pespontos, que também se encontram nos assentos e portas. As aplicações metálicas no interior apoderam-se do tablier e portas. No topo da consola central temos as saídas da climatização e o ecrã do sistema de navegação e multimédia. O painel de instrumentos é digital e a caixa de velocidades é operada a partir de botões, que estão colocados de forma acessível na consola central, oferecendo um aspecto limpo e harmonioso ao interior. Nos lugares traseiros os materiais das portas são rígidos, à excepção dos medalhões das portas que são em couro sintético, a Honda “lembrou-se” das saídas da climatização para os lugares traseiros e também de duas entradas USB para carregamento de dispositivos móveis.

Na lista de equipamento consta o ar-condicionado automático de dupla-zona com saídas para os lugares traseiros, assentos dianteiros aquecidos, entradas USB, AUX e HDMI, volante multi-funções, controlo por voz, sensores de chuva e luminosidade, sistema de navegação e multimédia com ecrã touch de 7 polegadas, tejadilho panorâmico de abrir, cruise-control e limitador de velocidade, botão start da ignição, travão de estacionamento eléctrico com função auto-hold, sensores de ajuda ao estacionamento com câmara, modo de condução “Sport”, painel de instrumentos digital, entre outros.

O sistema de navegação e multimédia do novo Honda CR-V merecia um ecrã touch de maiores dimensões, assim como melhor qualidade de imagem. Este sistema é completo q.b, sendo capaz de satisfazer o utilizador comum. Contudo, quem não está habituado a este tipo de sistemas pode facilmente achá-lo “confuso”. Neste sistema fazia falta um gráfico dedicado ao sistema híbrido, que auxiliasse o condutor com o aproveitamento da energia. Há multimédia e navegação, aplicações e está preparado para o Android Auto e Apple CarPlay.

Já o painel de instrumentos é muito intuitivo, apresenta a informação de forma dinâmica e fácil de consultar. Basta um botão para termos acesso aos níveis de fadiga, informações dos sistemas de segurança. estado do automóvel, consumos e viagens e o tão apreciado gráfico do sistema híbrido e eléctrico que nos permite adequar melhor a nossa condução em prol da poupança de energia.

No lugar do condutor a posição de condução é alta e confortável, todos os comandos estão acessíveis e a visibilidade é boa, uma vez que os pilares das portas são relativamente finos. O volante tem uma pega agradável, a caixa de velocidades é fácil de utilizar, o que acaba por se reflectir na condução, que se torna mais simples e intuitiva.

O comportamento dinâmico do Honda CR-V não é de um automóvel de corridas, uma vez que é fácil perceber que se trata de um SUV familiar de dimensões generosas e uma suspensão condescendente, afinada em prol do conforto. Apesar disso o Honda CR-V tem um comportamento agradável que se revela através de reacções neutras e previsíveis.

Debaixo do capô está um motor 2.0 Litros auxiliado por dois motores eléctricos. Este conjunto debita 184cv de potência e 315Nm de binário. Esta receita faz com que o Honda CR-V precise apenas de 8,8 segundos para atingir os 100km/h, antes de chegar à velocidade máxima de 180km/h.

Numa condução comedida em modo ECO, o Honda CR-V Hybrid consegue circular muito tempo no modo totalmente eléctrico, uma vez que privilegia a utilização dos motores eléctricos nas velocidades de cruzeiro, descidas, arranques, entre outras situações onde a intervenção do motor e gasolina passa para “segundo plano”. Quando tudo isto acontece, os consumos podem andar pouco acima dos 5 Litros a cada 100km.

Esta motorização híbrida está associada a uma caixa automática de variação contínua, que é fácil e agradável de utilizar, não não é demasiado brusca nos arranques e ultrapassagens, sendo também mais silenciosa do que aquilo que as caixas CVT nos habituaram.

O modo Sport vai tornar a resposta ao acelerador mais rápida, ajustando também a caixa de velocidades para um trabalho em prol da performance, onde os arranques são mais rápidos e as recuperações mais eficientes.

No campo da segurança, o Honda CR-V tem equipamento para dar e vender como sistema de manutenção de faixa, aviso de ângulo morto, aviso de fadiga do condutor, travagem de emergência activa, controlo de pressão dos pneus, retrovisor interior com escurecimento automático, sistema de ajuda ao arranque em subida, entre outros. Nos testes Euro NCAP o Honda CR-V obteve as 5 estrelas com 93% na segurança dos adultos, 83% na segurança das crianças, 70% na segurança dos peões e 76% nas ajudas à condução.

No que toca a preços, o Honda CR-V Hybrid começa nos 41.500,00€ para a versão comfort. A versão topo de gama ensaiada Lifestyle está disponível por 46.900,00€. Paga de IUC: 204,21€.

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Ricardo Teodósio e José Teixeira sagram-se Campeões Nacionais de Ralis!

Artigo seguinte

Afinal quanto custa a bateria de um Nissan Leaf?

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.