EnsaiosNoticias

Hyundai i30 N: Regresso ao passado com um automóvel do presente!

Nos tempos que correm há cada vez mais automóveis concebidos para bater recordes e menos automóveis concebidos com o intuito de proporcionar sorrisos e emoções sem igual. A mecânica é cada vez mais substituída pela tecnologia e a condução está mais filtrada do que nunca, contudo, ainda há automóveis que sabem como arrancar sorrisos e proporcionar a euforia do prazer de condução, um deles é o Hyundai i30N. Este automóvel é puro, mecânico e emocional!

A Hyundai já mostrou diversas vezes que sabe conceber automóveis, mas é fácil perceber que o “menino” dos “olhos” da marca Coreana é o Hyundai i30N. A razão fica à vista, a partir do momento em que desligamos as ajudas eletrónicas e ligamos o modo “N”. De repente, uma histeria invade o nosso corpo, que se veste de Thierry Neuvile para atacar a estrada de serra mais próxima, com uma sinfonia digna de Beethoven.

O exterior dá nas vistas, mas quase passa despercebido quando se adota uma cor mais sóbria. Não era o caso da unidade ensaiada, que estava vestida com o “Azul Performance”, uma cor que vai além do ser vistosa. Na autoestrada, são poucos os condutores que não olham pelo retrovisor e abrem pisca para a direita para deixar passar a “vedeta” coreana.

Não é o automóvel mais rápido do mundo, com toda a certeza. Apesar disso, o Hyundai i30 é dos automóveis mais prazerosos que já conduzimos.

O pedigree começa no exterior, com um lábio dianteiro vermelho bastante agressivo, óticas de fundo escurecido, uma grelha preta, e jantes de 19 polegadas bi-tom, envolvidas em pneus 235/35, que escondem pinças dos travões vermelhas “N”. Na verdade, é difícil olhar para a lateral e descobrir de imediato que se trata de um Hyundai i30N, pois esta versão mais espigada é bastante semelhante ao Hyundai i30 NLine, que utiliza motorizações convencionais. Isto, até chegarmos à traseira… Na traseira encontramos um spoiler generoso que adota uma luz de 3º stop triangular, um difusor digno de um verdadeiro carro de corridas com um friso vermelho e ainda duas saídas de escape generosas, que nos proporcionam um uma agradabilidade auditiva bastante notória.

Para além dos componentes já mencionados, que vincam o carácter “N” e que ajudam a distinguir este modelo como o “todo poderoso” da Hyundai, há ainda badges “N” que ajudam a destacar a exclusividade desta versão. Estes badges estão presentes na grelha dianteira e tampa da bagageira.

Esta seria a altura em que falávamos da acessibilidade, espaço a bordo e conforto, mas o que interessam esses fatores quando um automóvel é capaz de proporcionar tamanha felicidade a quem gosta de conduzir? Resumidamente, o Hyundai i30N é praticamente igual a um Hyundai i30 convencional no que toca a acessibilidade e espaço a bordo… O que muda? O conforto… O Hyundai i30N é um desportivo com raça, capaz de proporcionar as melhores emoções, não só ao condutor, como também aos passageiros, que vão ter ressaltos e muita rigidez, embora os assentos proporcionem conforto q.b em todos os lugares.

Embora seja extremamente desportivo, não é de todo impossível utilizar o Hyundai i30 N no dia-a-dia, uma vez que há equipamento e conforto suficiente para transportar a família sem vir a adquirir problemas de costas, apesar da rígida configuração de suspensão.

O habitáculo é praticamente igual ao da versão “NLine”. É desportivo sem grandes folclores e tem elementos que saltam à vista, mas mantém o Hyundai i30N utilizável no dia-a-dia. Face às versões convencionais, destacamos a barra de rigidez na bagageira, volante desportivo multifunções totalmente focado nos modos de condução, pedais em metal e um painel de instrumentos com um design mais desportivo, a condizer com os assentos dianteiros.

Equipamento de série não falta, há ar-condicionado automático de dupla zona, sensores de chuva e luminosidade, câmara de ajuda ao estacionamento traseiro, cruise-control e limitador de velocidade, carregador de smartphone sem fios, assento do condutor com regulação elétrica, retrovisores com recolha automática, botão start da ignição, apoio de braço para os lugares traseiros e sistema de navegação e multimédia com um ecrã de 8 polegadas.

O sistema de navegação e multimédia tem uma particularidade destinada a quem gosta de andar depressa e saber todos os dados de performance. Falamos da aplicação “N” do sistema, que nos apresenta curvas de binário e potência, pressão do turbo, cronómetro, diagrama de força “G” e ainda um menu que nos permite alterar as configurações do Hyundai i30 N ao nível comportamento.

O painel de instrumentos é diferente dos modelos convencionais, apresentando um logótipo “N” e mais alguns “km/h” na velocidade máxima. A isto, juntamos uma decoração mais desportiva, que apresenta ponteiros vermelhos, um computador de bordo menos monocromático e ainda um fundo axadrezado. O painel de instrumentos apresenta dados de consumo e viagens, alertas do automóvel e sistemas de segurança, configurações, modos de condução, entre outros.

Para podermos tirar partido do Hyundai i30 N com segurança, fomos até ao kartódromo do Campera, um local que não nos deixa explorar à vontade os 275cv do Hyundai i30N, uma vez que é curto para a potência e tamanho do automóvel, mas também é um local que nos permite sentir o chassi e a direção, devido às suas curvas muito técnicas e traçado bastante sinuoso. Numa condução empenhada, bastam duas voltas para que nos sintamos a ficar cansados de tanto dar aos braços e aos pés, numa condução que envolve travagens fortes, acelerações e golpes de direção, um número de “dança” que nos faria passar despercebidos em qualquer discoteca com música enérgica.

Embora o traçado seja exigente para o condutor, é nele que conseguimos “ver” o chassi a trabalhar. Nas curvas mais apertadas o Hyundai i30N faz questão de levantar a roda de trás e de procurar a tração, mesmo quando o pé direito não se acanha no acelerador. Os pneus chiam, os quatro piscas acendem, o escape lança raters, mas o Hyundai i30N continua demonstrar, volta após volta, que foi feito para atacar curvas com agilidade, precisão e uma estabilidade notável.

O brilhante chassis não foi a única coisa que nos convenceu, uma vez que é impossível não ficar agradado com a direção extremamente precisa e direta, com a caixa de velocidades muito bem escalonada e capaz de oferecer um prazer extremo, devido a um manuseamento bem ajustado e ainda uns pedais quase alinhados, que nos facilitam a vida nas conduções mais empenhadas.

Há quem não valorize os ruídos de escape. Infelizmente, estamos a ser obrigados a dar cada vez mais valor a automóveis barulhentos, principalmente quando se trata de desportivos e quando pensamos que o ruído dos escapes será, em breve, extinto com a chegada dos automóveis elétricos.

Se tivesse de escolher um único desportivo atual com tração dianteira, o Hyundai i30 N seria sem dúvida o automóvel que ocuparia o lugar na garagem. Este não é o automóvel mais veloz do seu segmento, mas é provavelmente o automóvel que nos arranca sorrisos mais facilmente, que nos permite sentir a mecânica e proporciona um prazer de condução como nenhum outro.

Debaixo do capô está um motor 2.0 Litros Turbo com 4 cilindros e 275cv de potência às 6000rpm e 353Nm de binário entre as 1450rpm e as 4700 rpm. Esta potência é enviada para as rodas dianteiras, através de uma caixa manual de 6 velocidades. Com esta receita o Hyundai i30 N precisa de 6,1 segundos para atingir os 100km/h, enquanto a velocidade máxima é de 250km/h. Mais rápidos? Sem dúvida, mais prazerosos? Temos dúvidas!

Se é um automóvel exigente de conduzir, ao mesmo tempo pode conceder aos menos experientes alguns “facilitismos” que os fazem parecer uns verdadeiros “Ás do volante”. Quando ligamos o modo N, o Hyundai i30 N também liga o sistema “REV” que sincroniza a velocidade da caixa de velocidades com o motor, para reduções mais eficazes e rápidas, fazendo o chamado “ponta-tacão” de forma automática, uma técnica muito apreciada e utilizada por pilotos na competição. Na lista de mais-valias juntamos o sistema de tração e o controlo de estabilidade extremamente configuráveis, que quase nos permitem ajustar as suas intervenções consoante o nosso grau de confiança, através dos modos “Sport” e “N”, que têm cada um deles as suas configurações em termos de assistência. O controlo de arranque permite-nos arrancar depressa sem a preocupação de gerir a potência.

Quando queremos andar de forma mais comedida e sem tanto ruído, a Hyundai disponibiliza os modos “Eco” e “Normal”, que aumentam a assistência ao nível da direção e diminuem a resposta do pedal do acelerador para que não haja um consumo excessivo de combustível. Mesmo nestes modos, o Hyundai i30 N não se nega a ultrapassagens ou acelerações enérgicas para escapar a situações de trânsito.

No que toca a consumos, o Hyundai i30 N tem duas personalidades. Com o modo “Eco” e condução comedida é possível realizar consumos abaixo dos 8,5 Litros a cada 100km. Quando optamos pelo modo “N” e damos “fogo à peça”, os consumos sobem para valores acima de 12 Litros a cada 100km. Mas quem se preocupa com consumos quando está com um sorriso de orelha a orelha?

Vamos novamente ao que interessa! Saímos do kartódromo, vestimos o Thierry Neuville que há em nós e deslocamo-nos à Serra do Gradil, um local belo e emblemático, onde o ruído de escape do Hyundai i30N ecoa pelas árvores. Desligamos o ESP e o REV, ligamos o modo “N” no “botão mágico” do volante e conduzimos afincadamente. Mais uma vez, o Hyundai i30N demonstra que não se adapta apenas aos circuitos, ao percorrer de forma exemplar as estradas sinuosas e inclinadas da serra. Neste ambiente, o Hyundai i30N não acusa fadiga de travagem, continuando a proporcionar sorrisos de orelha a orelha quilómetro após quilómetro.

Se a vida faz sentido na maioria das vezes, é ao volante destes automóveis que percebemos que A VIDA É BELA!

Sai uma aceleração, uma travagem com o pé esquerdo, a traseira a escorregar para imbicar e frente para a curva, o volante firme a direito, carregamos no pedal do acelerador e brrwwwwooooooooooooooo!!!!!! prá!!!!!!! Podíamos acordar todos os dias para ouvir esta bela sinfonia sem fim. Melhor e mais puro? Não há!

O Hyundai i30 N é um automóvel seguro, tal como o Hyundai i30 convencional, está dotado de sistemas de segurança como o aviso de ângulo-morto, sistema de travagem de emergência ativa, alerta de fadiga do condutor, retrovisor interior com escurecimento automático, ajuda ao arranque em subida, monitorização da pressão dos pneus, sistema de manutenção de faixa e todos os confortos associados à segurança, que nos permitem usufruir de uma condução calma, tranquila e segura. O Hyundai i30 obteve as 5 estrelas nos Testes Euro NCAP com 88% na proteção dos adultos, 84% na proteção das crianças, 64% na proteção dos peões e 68% nas ajudas à condução.

O Hyundai i30N Performance está disponível a partir dos 45.555,17€, a unidade ensaiada contava com a cor Azul Performance (+ 430€,00). Paga de IUC: 239,37€. Para além do valor de aquisição simpático face aos seus concorrentes, o Hyundai i30 N tem ainda a mais-valia da garantia de 7 anos sem limite de quilómetros.

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Volkswagen ID.3: o pioneiro de uma nova era de mobilidade

Artigo seguinte

LEXUS DESIGN AWARD 2021: PROTAGONISTAS E REFERÊNCIAS NO DESIGN MUNDIAL

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.