NoticiasComunicados de Imprensa

Novo Opel Grandland X híbrido ‘plug-in’ com tração dianteira está disponível para encomenda

Nova versão híbrida plug-in de tração à frente vem juntar-se à versão 4×4;

Preços a partir de 46.720 euros; primeiras unidades chegam em Abril;

Sistema de motorização debita um total de 224 cv (165 kW) de potência;

Autonomia WLTP até 57 quilómetros em modo puramente elétrico;

Todos os modelos da Opel estarão ‘eletrificados’ em 2024.

A Opel prepara o lançamento no mercado do seu próximo modelo com motorização elétrica. Depois de abertas as encomendas do Opel Corsa-e e do Opel Grandland X Hybrid4 de tração integral, surge agora a vez do Grandland X na variante híbrida ‘plug-in’ com tração dianteira, que tem preços a partir de 46.720 euros. As primeiras unidades chegam em Abril.

Aliando um motor elétrico e um propulsor a gasolina 1.6 sobrealimentado, o sistema de motorização do Grandland X Hybrid debita potência máxima de 224 cv (165 kW) e binário máximo de 360 Nm. O consumo médio obtido de acordo com a nova norma WLTP1 é de 1,5-1,4 l/100 km, com emissões de CO2 de 34-31 g/km. Em modo de funcionamento puramente elétrico, o novo Opel oferece autonomia até 57 quilómetros no ciclo WLTP (60 a 65 km no ciclo NEDC2).

A longa lista do equipamento de série no capítulo da segurança inclui importantes sistemas de assistência à condução como o alerta de colisão dianteira com deteção de peões e travagem de emergência, manutenção de faixa e deteção de cansaço do condutor. O sistema de informação e entretenimento IntelliLink Navi 5.0 possui um grande ecrã tátil policromático e garante total conectividade graças à compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto.

Para aumentar o grau de eficiência, o Grandland X Hybrid está dotado de um sistema sofisticado de travões capaz de recuperar energia resultante da inércia da travagem ou da desaceleração.

Híbrido ‘high-tech’: motor elétrico e motor a gasolina com turbocompressor e injeção direta

O sistema de motorização do Opel Grandland X Hybrid é formado por um motor térmico 1.6 de quatro cilindros, a gasolina, com injeção direta e turbocompressor, capaz de debitar 180 cv (133 kW), um motor elétrico de 81 kW (110 cv) e uma bateria de iões de lítio com 13,2 kWh de capacidade. O motor elétrico está acoplado na transmissão automática eletrificada de oito velocidades.

O motor de combustão interna intervém sobretudo quando o automóvel circula a velocidades médias e superiores, enquanto a secção elétrica é colocada em funcionamento na faixa de velocidades baixas a médias. Vários estudos revelam que grande parte das deslocações diárias pendulares (casa-trabalho-casa) não ultrapassam 50 quilómetros de distância, o que quer dizer que, nesses casos, o novo híbrido ‘plug-in’ da Opel pode ser potencialmente utilizado permanentemente sem emissões.

O novo Opel Grandland X Hybrid oferece três modos de condução – “Elétrico”, “Híbrido” e “Sport” – que podem ser selecionados pelo condutor. No modo “Híbrido” o sistema de motorização seleciona automaticamente a opção de propulsão mais eficiente, permitindo mudar para modo puramente “Elétrico”, sem emissões, quando chega a um centro urbano. O modo “Sport” alia a potência de ambos os motores térmico e elétrico para garantir a máxima ‘performance’. O Grandland X Hybrid consegue acelerar de zero a 100 km/h em 8,9 segundos e alcançar a velocidade máxima de 225 km/h.

A bateria de 13,2 kWh do novo híbrido ‘plug-in’ da Opel pode receber carga através de um carregador de bordo de 3,7 kW (de série) ou, em opção, de 7,4 kW de potência. A tomada de corrente está localizada do lado oposto do bocal de enchimento de combustível. No sentido de otimizar o espaço no habitáculo e na bagageira, os módulos da bateria estão situados sob o banco traseiro.

Uma vez que a eletricidade tem custo significativamente inferior ao da gasolina, é óbvio que a utilização de um híbrido ‘plug-in’ faz muito mais sentido quando a bateria é recarregada regularmente, em vez de apenas abastecer de combustível. Dependendo dos preços da gasolina e das distâncias percorridas, isso pode fazer baixar consideravelmente os custos com as deslocações e as despesas com energia. O tempo de recarregamento da bateria depende do tipo de carregador. Recorrendo ao cabo “Mode 3”, com o carregador de bordo de 7,4 kW, o Grandland X Hybrid poderá receber uma carga completa em menos de duas horas.

Para simplificar o recarregamento, a Opel oferece soluções específicas providenciadas pela Free2Move Services, a marca de mobilidade do Groupe PSA. A oferta integra um passe de acesso a uma completa rede de postos de carregamento e uma aplicação de planeamento de viagem que indica a localização de postos ao longo do percurso. A aplicação “myOpel”, por seu turno, permite programar horas de recarregamento ou ajustar à distância as regulações de pré-aquecimento do habitáculo, por exemplo. O sistema “Opel Connect” disponibiliza serviços como a navegação em tempo real com informações de tráfego e verificação das funções essenciais de funcionamento do veículo, bem como ligações diretas com os serviços de assistência em estrada e de emergência. Em caso de acidente com acionamento de tensores de cintos ou ‘airbags’, a chamada de emergência é efetuada automaticamente.

Com o novo Grandland X Hybrid, a estratégia de eletrificação dos modelos da Opel ganha novo ritmo. O próximo passo será o primeiro comercial ligeiro da marca com motorização elétrica, o Vívaro-e, que chegará ao mercado no decorrer de 2020. Seguir-se-ão versões, igualmente a bateria, dos modelos Combo Life, Combo Cargo e Zafira Life, em 2021. No ano 2024, todos os modelos Opel possuirão versões com motorizações eletrificadas.

Novo Opel Grandland X Hybrid

Gama e preços

Opel Grandland X Hybrid PHEV GS Line AT8 224cv 24CO2* P.R.V.P.-46.720 €

Opel Grandland X Hybrid PHEV Ultimate AT8 224cv 24CO2* P.R.V.P.-51.120 €

* Valor aplicado no cálculo fiscal em Portugal

[1] Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 mencionados estão de acordo com a homologação WLTP (regulamento EU 2017/948). Desde setembro de 2018, os modelos novos são homologados utilizando a nova norma WLTP (World Harmonised Light Vehicle Test Procedure), a qual se apresenta como um método de teste mais realista para medir consumos de combustível e emissões de CO2. O WLTP substitui integralmente o New European Driving Cycle (NEDC), que era o método utilizado anteriormente. Devido a condições de teste mais realistas, os valores de consumo de combustível e de emissões de CO2 apresentados na norma WLTP são, em muitos casos, mais elevados do que os NEDC. Os consumos e emissões podem variar de acordo com equipamento específico, opções e dimensões de rodas.
[2] Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 mencionados são determinados de acordo com a nova norma WLTP (World Harmonised Light Vehicle Test Procedure), sob o regulamento EU 2017/948 e os dados relevantes são transpostos para NEDC com o objetivo de os tornar comparáveis com outros veículos.

Artigo anterior

Guiar o Mercedes AMG GT 63 S à chuva é épico... Para quem sabe! (Vídeo)

Artigo seguinte

Volvo inaugura novas instalações em Vila do Conde

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.