EnsaiosNoticias

Nissan JUKE 1.0 DCT7: Distinção de olhos em bico!

Todos sabemos que o Nissan Juke é um automóvel da moda, pois nunca houve tanta procura por automóveis do segmento B-SUV. Devido a esta tendência do mercado, nunca houve tantas alternativas, uma vez que quase todas as marcas generalistas dispõem de um modelo deste segmento. Apesar dos concorrentes muito competentes, há modelos que se distinguem como o Nissan Juke, um automóvel praticamente concebido para o mercado Europeu, mas que preserva o design com forte influência da terra do sol nascente!

Os níveis de equipamento que mais dão nas vistas são, obviamente, os níveis mais completos como o N-Design Chic da unidade ensaiada. Apesar de ser um automóvel com um volume de vendas generoso e que é comum ver a circular nas estradas, o Nissan Juke é bastante irreverente, principalmente quando nele é colocada uma pintura bi-tom.

A face dianteira arredondada é “pouco consensual” e sabe dar nas vistas. A grelha superior expressa o ADN Nissan, que se deixa vincar por apontamentos cromados e pretos brilhantes. A falta de consensualidade continua nos grupos óticos, onde encontramos luzes de iluminação diurna delgadas e em posição horizontal e óticas redondas, que acentuam o aspeto “estranho” do Nissan Juke. Talvez seja caso para dizer: “Estranha-se mas depois entranha-se”, o Nissan Juke é isso mesmo, um automóvel diferente e que é tudo menos aborrecido!

A linha de cintura é elevada e vincada prolonga-se até aos farolins traseiros, facultando o “mote” para o design pontiagudo dos mesmos.

Não é por ter um estilo dinâmico e irreverente que deixa de se afirmar como um verdadeiro crossover! O Nissan Juke tem proteções de carroçaria na dianteira, traseira e laterais, que se apoderam dos arcos das rodas. O crossover nipónico não se fica pelo aspeto, uma vez que a sua altura ao solo também é generosa.

Neste nível de equipamento N-Design Chic o Nissan Juke ostenta jantes de 19 polegadas com 2 tons, envolvidas em pneus 225/45 R19, luzes Full-LED na dianteira e traseira, vidros traseiros escurecidos, pintura Bi-Tom, antena Shark, soleiras da portas com designação do modelo e chave mãos-livres.

O acesso ao interior é fácil quando o objetivo é sentar nos lugares dianteiros. Quando queremos aceder aos lugares traseiros a tarefa é dificultada por uma abertura pouco generosa das portas, um tejadilho inclinado e pouco espaço para a passagem dos pés. Quando nos acomodamos, a viagem tem tudo para ser agradável. Há espaço suficiente para a cabeça, ombros e pernas, mesmo para as pessoas com estatura mais elevada. As crianças é que podem não gostar de viajar nos bancos traseiros, uma vez que a linha de cintura crescente pode retirar parte da visibilidade para o exterior.

O conforto está garantido, pelo menos no que toca aos bancos que oferecem apoio lateral e de pernas quanto baste, tanto nos lugares traseiros como nos lugares dianteiros.

Os olhos também “comem”! Se o exterior do Nissan Juke é desportivo e irreverente, quando acedemos ao seu interior entramos numa outra dimensão. De todos os crossovers, este é o que tem o interior envolvente para os amantes dos automóveis desportivos. Porquê? Tablier com inserções em alcântara, saídas da climatização redondas, bancos desportivos em pele e alcântara e ainda apontamentos a preto brilhante, alumínio e cor ambiente vermelha. Nas portas temos revestimento a alcântara com pesponto branco. Há crossover com interior mais desportivo no seu segmento? Pouco provável!

Neste nível de equipamento mais completo temos: ar-condicionado automático, sistema de navegação e multimédia num ecrã de 8 polegadas, painel de instrumentos com ecrã TFT, regulador de velocidade adaptativo, limitador de velocidade, sensores de chuva e luminosidade, botão start da ignição, sistema de som premium BOSE, travão de estacionamento elétrico, auto-hold, modos de condução Sport e Eco, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, entrada USB para os lugares traseiros, retrovisor interior electrocromático e bancos dianteiros aquecidos.

O sistema de navegação e multimédia surge num ecrã de 8 polegadas com boa qualidade de imagem. A interface é agradável, o sistema é rápido, intuitivo e permite conexão Android Auto e Apple CarPlay. Na área da multimédia o nosso destaque vai para o sistema de som BOSE com colunas de som UltraNearfield embutidas nos encostos traseiros, para uma experiência de áudio 360º.

A junção do analógico com o digital surge no painel de instrumentos, criando aquilo a que chamamos o “melhor de dois mundos”. A Nissan não se ficou por um painel de instrumentos exclusivamente digital com todas as informações, em vez disso, preservou mais uma vez a distinção e contrariou as tendências. A marca nipónica manteve o conta rotações e o velocímetro analógicos com um ecrã TFT de dimensões generosas colocado ao centro, que nos fornece todas as informações que precisamos: sistemas de ajuda à condução, multimédia, navegação, telefone, dados de consumo e viagem, entre outros.

No lugar do condutor tudo é perfeito para quem gosta de conduzir! O volante tem uma excelente pega, assim como o punho da caixa de velocidades, que para além da boa pega está também colocado numa posição mais elevada, que permite um melhor alcance, oferecendo mais confiança ao condutor. Quando se trata de uma caixa automática, não conseguimor usufruir tanto desta mais-valia. A visibilidade para a dianteira está melhor do que na anterior geração, mas o design continua a penalizar fortemente a visibilidade para a traseira. Os bancos desportivos acolhem o condutor fazendo com que este se sinta em plena sintonia com o automóvel.

Ao nível do comportamento dinâmico o Nissan Juke não desilude! O modelo nipónico tem uma configuração de suspensão firme, que lhe oferece um pisar muito preciso e pouco filtrado, ainda para mais quando equipado com jantes de 19 polegadas e pneus de baixo perfil. A carroçaria não adorna em excesso e a estabilidade está garantida. A direção é direta e prazerosa.

Só há uma motorização disponível para o Novo Nissan Juke. Falamos de uma motorização 1.0 Litros a gasolina de 3 cilindros Turbo com 114cv de potência e 180Nm de binário. Este motor é enérgico, económico e bastante linear na sua entrega de potência. Pode estar associado a dois tipos de caixas de velocidades: uma caixa manual de 6 velocidades ou uma caixa automática DCT de 7 velocidades.

A unidade que ensaiámos vinha equipada com a caixa automática DCT de 7 velocidades. Esta é algo lenta no que toca a passagens de relação e mesmo em situações em que queiramos abrandar de forma mais abrupta ou queiramos uma aceleração mais imediata, o mesmo volta a acontecer nas subidas… Pisamos o pedal do acelerador e demora até que algo aconteça. Apesar destas “menos-valias”, constatamos que se trata de um elemento que não prejudica os consumos.

Falando em consumos de combustível, também nesta área o Nissan Juke surpreende pela positiva! Sem andar a “pisar ovos” ou com acelerações bruscas, o Nissan Juke realizou uma média de 6,8 Litros a cada 100km no nosso ensaio. Estas médias surpreenderam-nos pela positiva, principalmente quando comparadas ao motor 1.2 DIG-T de 115cv, mais gastador, que equipava a anterior geração do Nissan Juke.

No modo “Sport” este motor é agradável e despachado, a caixa parece tornar-se mais rápida e até dá gosto optar pelo modo sequencial, que nos oferece patilhas atrás do volante para trocas de mudança.

A aceleração dos 0 aos 100km/h ocorre em 10,4 segundos com caixa manual de 6 velocidades e em 11,1 segundos com a caixa automática DCT de 7 velocidades. A velocidade máxima é de 180km/h.

Ao nível da segurança o Nissan Juke oferece sistemas como o Pro Pilot que alia o regulador de velocidade adaptativo com função de paragem e arranque ao sistema de manutenção na via. O Pro Pilot é uma mais-valia no conforto de condução e na segurança, além de funcionar extremamente bem. Para além deste sistema tão falado e gabado pela Nissan, o novo Juke ainda pode oferecer alerta de ângulo-morto, câmara de ajuda ao estacionamento 360º, travagem de emergência ativa, entre outros.

Nos testes Euro NCAP o Nissan Juke teve uma classificação exemplar de 5 estrelas com 94% na proteção dos adultos, 85% na proteção das crianças, 81% na proteção dos peões e 73% nas ajudas à condução.

O Nissan Juke está disponível a partir dos 19.130,00€ para o nível de entrada de gama Visia. A unidade ensaiada N-Design Chic com caixa automática DCT de 7 velocidades, pintura metalizada bi-tom (750,00€), Pack BOSE (600,00€), Sistema de navegação Nissan Connect (300,00€) e sistema ProPilot (1300,00€), está disponível por 30.187,00€ (P.V.P). O novo Nissan Juke tem 3 anos ou 100.000km de garantia e paga de IUC: 103,12€.

Configure aqui o seu Nissan Juke!

Fotos: João Santos

Artigo anterior

Novos Audi Q2 / SQ2: design dinâmico e progressivo (video)

Artigo seguinte

CITROËN garante liderança do mercado de Veículos Comerciais Ligeiros

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.