Artigos

O “devaneio” da Ferrari chamado Formula Indy!

A Ferrari concebeu um Formula Indy. Nos anos 80 a popularidade dos “Champ Cars” era provavelmente maior do que agora, e por isso, a marca italiana concebeu um Formula Indy que na realidade nunca chegou a correr.

Maranello é uma “fábrica de frustrações”, existem lá alguns automóveis que foram concebidos para chegar ao lugar mais alto do pódio, mas muitos dele nunca chegaram a pisar um circuito. Num atrito com os oficiais de corrida da Formula 1, a Ferrari “amuou” e decidiu “sair”. Para mostrar que era a sério conceberam o automóvel que se vê nas fotos, que se chamava 637.

Muito antes da Dallara assumir o controlo dos chassis para a Formula Indy, o projeto 637 foi “levado avante” pelo engenheiro veterano da F1 Gustav Brunner, que trabalhava para a Ferrari na época.

O chassi deste Formula Indy da Ferrari era feito em alumínio e carbono. O motor era um V8 com um Turbo 2,65, de acordo com a regulamentação da CART teria de produzir cerca de 690cv de potência. O piloto de fábrica da Scuderia, Michele Alboreto que já tinha conquistado alguns grandes prémios “abalou” do carro em Fiorano e o projecto acabou por ser arquivado.

Ainda antes da Fiat adquirir maior interesse na Ferrari, acabava de adquirir a Alfa Romeo. Então, depois do projeto 637 ser “abortado”, os engenheiros de Maranello entregaram o chassi para a sua “nova marca” de Milão. Alfa Romeo usou-o para testar o seu próprio programa da Formula Indy. Desenvolveram um motor à parte, mas com as mesmas especificações para que funcionasse neste chassi que foi concebido para levar a Ferrari ao lugar mais alto do pódio.

Assim terminou o breve “devaneio” da Ferrari de competir na Indianápolis 500. Já os rivais McLaren, Lotus, Maserati entre outros, tiveram em décadas anteriores o mesmo “devaneio”. O único chassi 637 que existe faz parte da colecção do Museu Ferrari em Maranello.

Artigo anterior

Honda S2000 com motor de NSX: Concebido para "atacar" os circuitos!

Artigo seguinte

Mercedes procura "talentos" da programação para o primeiro centro de competências digitais!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *