Ensaios

Ford Mustang 2.3 Ecoboost: O ícone Americano!

Finalmente colocámos as mãos num Ford Mustang! Para além de ser o desportivo mais vendido do mundo, é um ícone americano e uma estrela de Holywood! Este “Ecoboost” é o mais civilizado!

Mais um ensaio escrito na primeira pessoa. Não poderia ser de outra maneira!

Para mim os verdadeiros desportivos eram os Europeus, automóveis requintados e elegantes. Por isso nunca entendi o conceito “Muscle car” americano. Até ter o privilégio de estar ao volante de um Ford Mustang.

14797471_1207341499331359_564314054_n

Bem podem esquecer o requinte, a elegância e aquele toque premium e “betinho” a que estamos habituados a ver nos desportivos. O Ford Mustang não é assim…

Foi concebido para homens de barba rija. Para aqueles que gostam da acção, do sexo à bruta, de armas e porrada, que sonhavam ou sonham ainda vir ser como o Chuck Noris. Se és assim… O Ford Mustang é para ti! Desprovido de qualquer tipo de “mariquice” e diferente dos “betinhos” dos Europeus.

ford-mustang-jp-27

O Ford Mustang é um automóvel prático. Oferece performance, imponência e garantidamente não deixa ninguém indiferente. Os miúdos na rua olham e apontam, enquanto os pais tiram fotografias, sentindo a nostalgia de filmes que outrora passavam na televisão e quase todos contavam com o mais belo Mustang, a estrela de Holywood.

Apesar de ser um eterno apaixonado pelos tais “betinhos Europeus”, o Ford Mustang seria um elemento obrigatório na minha garagem. É um ícone sem igual, toda a gente o conhece, toda a gente o deseja. Quem não deseja certamente nunca experimentou!

ford-mustang-rk-17

É lindíssimo à sua maneira embora não conte com elementos de design dignos de “Pininfarina”. O Ford Mustang é o automóvel que se impõe e que garantidamente dá mais nas vistas do que qualquer Porsche, Audi ou BMW. A grelha suga o transito e o ruído do motor 2.3 Ecoboost faz com que as faixas de rodagem se abram só para nós. Parados no transito sentimos-nos autênticos “Brad Pitt”. Homens, mulheres, crianças, os mais jovens e os mais velhos, ninguém fica indiferente a este “gigante” Americano.

No interior contamos com uma qualidade de construção excelente e materiais bons q.b. Ao contrário do que dizem os nossos colegas de imprensa e meios tendenciosos. Não poderíamos pedir mais por um automóvel que custa menos 30.000€ que um Porsche ou um BMW com potências semelhantes. Obviamente que por 50.000€ não poderíamos querer pele de Rolls Royce e materiais de Bugatti Veyron.

ford-mustang-jp-8

Os comandos estão colocados na posição certa, contamos com um estilo “retro” e pormenores sem igual. O tablier em alumínio com saídas de ar redondas, o volante com o logo “Mustang”, os comandos do ar-condicionado e do rádio também eles com um estilo que nos leva para o passado. A chapa a dizer: “Mustang Since 1964”, o conta rotações a dizer “Revolutions Per Minute” e o velocímetro a dizer “Groundspeed”… Estes são alguns dos elementos herdados pelo modelo clássico americano.

Mais abaixo na consola central ao lado do botão start, temos “patilhas” que nos permitem alterar o modo da direcção e o modo de condução. Um pormenor também engraçado é a iluminação… Branca durante o dia, azul à noite e quando o ponteiro toca no “Red Line” o painel de instrumentos fica vermelho de forma a alertar para a troca de caixa.

ford-mustang-jp-35

Os assentos não são excessivamente rijos e oferecem bom apoio lombar. Os lugares atrás são suficientes para duas crianças e 2 adultos conseguem viajar apertados. Valha-nos isso! O mais difícil é mesmo o acesso aos lugares traseiros. A bagageira conta com 408 Litros. Nada mau!

A posição de condução é bastante agradável, sentimos-nos seguros e com acesso a todos os comandos. O sistema de informação e multimédia “Ford Sync” é algo confuso para quem não esteja habituado a este tipo de sistema. Aparece num ecrã táctil de dimensões generosas (8 polegadas) e conta com um bom sistema de som da Sony. Neste modelo está também disponivel o sistema “Ford My Key” que permite limitar a velocidade do automóvel, o volume do rádio entre outras funções. Serve principalmente para quando não é o condutor habitual do automóvel a conduzir. A luz ambiente pode ser também alterada, existem 9 cores disponíveis.

ford-mustang-rk-22

No que toca aos modos da direcção contamos com 3 modos: conforto, normal e desportivo. A direcção no modo conforto torna-se mais leve e no modo desportivo torna-se mais pesada para oferecer um melhor “feedback” da estrada.

Nos modos de condução temos 4: Desportivo +, Pista, Chuva/Neve e normal. Pelos nomes conseguimos desde logo entender o que faz cada um destes modos. Desportivo + torna o ESP menos interventivo de forma a que consigamos andar depressa e escorregar de forma controlada. O modo de “Pista” torna a resposta ao acelerador mais linear e todo o automóvel adopta um comportamento mais assertivo e eficaz. O modo chuva/neve coloca todas as ajudas à condução em “alerta” de forma a que consigamos andar neste tipo de condições de forma mais segura. O modo “normal” torna o acelerador não tão “sensível” como nos modos Desportivo + e Pista, o que acaba por privilegiar também os consumos e a condução no dia-a-dia.

ford-mustang-rk-23

A direcção é precisa e a caixa de manual de 6 velocidades é formidável! É das melhores que já experimentámos! O chassi é bastante bom, como a Ford já nos tem vindo a habituar e permite algumas brincadeiras, sem dar grandes dores de cabeça. A travagem podia ser melhorada. De acordo com o que dizem alguns sites internacionais esta geração está melhor que a anterior no que toca ao campo da travagem. Podem melhorar mais um bocadinho na próxima geração! Nada que nos tire o sono!

O motor 2.3 Ecoboost de 4 cilindros debita 317cv de potência e 432Nm de binário. Para quem torce o nariz por não ser um motor de 500 ou 600cv que se deixe disso. Pois o motor 2.3 Ecoboost permite ao Ford Mustang uma aceleração dos 0 aos 100km/h em apenas 5,8 segundos.

14690892_1307673689251583_1445428240229466899_n

Para além de uma boa performance conseguimos consumos bastante simpáticos e abaixo de alguns “Hot Hatches” significativamente mais leves e menos potentes. Conseguimos neste ensaio um consumo mínimo de 10,5 Litros a cada 100km, o que é excelente para um automóvel com mais de 300cv, 1655kg de peso, jantes 19 com pneus 255/40, 4 lugares e 60 Litros no depósito de gasolina.

A versão ensaiada ronda os 55.000€ emite 179g/km de CO2 e paga de IUC: 232,35€.

Texto de: Tiago Neves
Fotos de: José da Palma e Raquel Von Kaminaru

Galeria Raquel Von Kaminaru:

Galeria José da Palma:

Artigo anterior

Maserati MC12 recebe Kit de Performance passados 12 anos!

Artigo seguinte

O Bentley de Cristiano Ronaldo vai a leilão!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *